Substitutos da pele no tratamento de úlceras de pé-diabético

uma revisão da literatura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/ccfenf220224764

Palavras-chave:

Pé diabético, Substitutos de pele, Diabetes mellitus

Resumo

Introdução: Revisão da literatura científica baseada na seguinte questão norteadora: “Quais os efeitos dos substitutos de pele na cicatrização de feridas de pé-diabético?”. Objetivo: Este estudo pretende revisar os efeitos da aplicação de “substitutos de pele”, ou seja, todos os tipos de enxertos de pele e pele desenvolvida por bioengenharia, pele equivalente a humana (humam skin equivalente), tanto celulares quanto acelulares, no tratamento de úlceras de pé-diabético (DFUs). Método: A busca sistemática pelos estudos incluídos foi conduzida através das bases de dados MEDLINE/PUBMED e Scopus. A data de publicação foi restringida ao período entre junho de 2011 e junho de 2021 (últimos 10 anos) e idioma (português, inglês e espanhol), resultando na inclusão de 29 artigos. Para a extração e sintetização dos dados, a partir da leitura integral dos artigos selecionados, foram elaboradas duas tabelas do Microsoft Word®. Resultados: Constatamos a superioridade clínica das terapias que utilizam “substitutos de pele” no tratamento de úlceras de pé-diabético (DFUs), em comparação ao tratamento convencional, visto que os pacientes que receberam a aplicação semanal ou quinzenal de “substitutos de pele” mostraram-se significativamente mais propensos a cura completa das DFUs do que aqueles que receberam o tratamento convencional, nos grupos controle. Além disso, entendemos que a aplicação de “substitutos de pele” incorre em maiores custos de tratamento direto e um importante incremento na necessidade de procedimentos de consultório médico. No entanto, observamos que costuma ocorrer uma importante compensação de custos no decorrer do tratamento com “substitutos de pele”, além da melhora dos componentes da qualidade de vida dos pacientes. Conclusão: Constatamos a superioridade clínica das terapias que utilizam “substitutos de pele” no tratamento de DFUs, em comparação ao tratamento convencional. Também observamos a redução potencial de custos derivada da aplicação de “substitutos de pele” no tratamento das DFUs, especialmente quando comparada a terapia convencional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Caroline Donadoni, Universidade Estadual de Campinas

Graduanda em Enfermagem na Faculdade de Enfermagem da Universidade Estadual de Campinas.

Eliana Pereira de Araújo, Universidade Estadual de Campinas

Professora Associada da Faculdade de Enfermagem da Universidade Estadual de Campinas. Livre-Docente pela Universidade Estadual de Campinas.

Downloads

Publicado

2022-11-30

Como Citar

1.
Donadoni FC, Araújo EP de. Substitutos da pele no tratamento de úlceras de pé-diabético: uma revisão da literatura. CCFEU [Internet]. 30º de novembro de 2022 [citado 1º de fevereiro de 2023];(2):e20224764. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/ccfenf/article/view/4764

Edição

Seção

Processo de Cuidar em Saúde e Enfermagem no Adulto e Idoso