Inteligência emocional de enfermeiros que atuam em um hospital de referência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/ccfenf220224730

Palavras-chave:

Inteligência emocional, Enfermeiras e enfermeiros, Competência mental

Resumo

Introdução: Enfermeiros estão expostos a estressores que podem influenciar a satisfação no trabalho e contribuir para o desenvolvimento de agravos à saúde. Por isso, a Inteligência Emocional, que envolve perceber, expressar, assimilar, entender e manejar emoções próprias e de outras pessoas, pode ser utilizada para melhorar os resultados com pacientes e profissionais. Objetivo: Avaliar se existe relação entre inteligência emocional de enfermeiros e variáveis socioprofissionais. Método: Estudo transversal, quantitativo realizado em um hospital público e de ensino, com 94 enfermeiros. Os dados foram coletados de forma híbrida (online e presencial) a partir de uma ficha para caracterizar a amostra e do Teste de Autorrelato da Inteligência Emocional de Schutte e tabulados no programa Microsoft Excel for Windows®. Os escores para cada dimensão do instrumento resultaram da média das respostas dos participantes. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com o CAAE nº 53158721.7.0000.5404. Resultados: A maioria da amostra era do sexo feminino (n=82; 87,23%), com especialização (n=51; 55,43%) e atuava em unidades de internação (n=46; 51,1%). A idade média dos enfermeiros foi de 40,14 anos (dp 7,72) com 14,49 anos (dp 6,33) de formação e 9,24 anos (dp 7,32) de experiência. No que se refere à Inteligência Emocional, a média para cada um dos domínios foi de: 38,43 (dp 5,04) para Percepção das emoções; 38,78 (dp 4,18) para Manejo das próprias emoções; 32,38 (dp 3,75) para Manejo das emoções dos outros e 23,85 (dp 3,15) para Utilização das emoções. Não foram identificadas diferenças estatisticamente significantes entre Inteligência Emocional e as variáveis socioprofissionais. Conclusão: Os enfermeiros apresentaram elevado manejo de suas emoções e as variáveis testadas não apresentaram relação com a Inteligência Emocional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sharlla Milênia Nogueira da Silva, Universidade Estadual de Campinas

Graduanda em Enfermagem na Faculdade de Enfermagem da Universidade Estadual de Campinas.

Renata Cristina Gasparino, Universidade Estadual de Campinas

Pós-Doutoranda em Ciências da Saúde pela Universidade de São Paulo. Professora Associada da Faculdade de Enfermagem da Universidade Estadual de Campinas.

Thelen Daiana Mendonça Ferreira, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda pela Faculdade de Enfermagem da Universidade Estadual de Campinas.

Flávia Carvalho Pena Dias, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda pela Faculdade de Enfermagem da Universidade Estadual de Campinas.

Downloads

Publicado

2022-11-30

Como Citar

1.
Silva SMN da, Gasparino RC, Ferreira TDM, Dias FCP. Inteligência emocional de enfermeiros que atuam em um hospital de referência. CCFEU [Internet]. 30º de novembro de 2022 [citado 1º de fevereiro de 2023];(2):e20224730. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/ccfenf/article/view/4730

Edição

Seção

Processo de Cuidar em Saúde e Enfermagem no Adulto e Idoso