Irrigação: métodos, sistemas e aplicações

Autores

Roberto Testezlaf
Universidade Estadual de Campinas

Sinopse

Buscando oferecer uma divisão lógica e coerente, dividiu-se esse livro em quatro módulos distintos. O Módulo I apresenta a definição de irrigação com seus benefícios, a descrição dos métodos e sistemas de irrigação e seus componentes, buscando enfatizar a sua importância para o agronegócio brasileiro e analisar a situação atual do uso dessa técnica no Brasil, comparando-a com outros países. No Módulo II, o mais longo deles, são caracterizados os métodos e sistemas de irrigação mais empregados atualmente, introduzindo um pequeno histórico de desenvolvimento da técnica, seus princípios de operação e as vantagens e limitações do uso. Nesse módulo é introduzida e discutida a inclusão da irrigação de subsuperfície dentro de uma nova classificação dos métodos de irrigação. O Módulo III mostra detalhes de aplicações de sistemas de irrigação em dois sistemas de produção distintos: em ambientes protegidos e em paisagismo; mostrando as adequações da técnica para esses empregos e fornecendo detalhes da operação dos equipamentos e informações básicas sobre projetos. No módulo IV foram enfatizadas as condições básicas que caracterizam uma irrigação de qualidade, mostrando os procedimentos de  lanejamento do uso da técnica e abordando os cuidados que se devem tomar para minimizar o impacto da irrigação no uso dos recursos naturais (hídricos e solos).

Buscou-se nesse livro, falar imparcialmente sobre irrigação, mostrando os lados positivos e negativos e procurando deixar a mensagem que toda a tecnologia desenvolvida pelo homem deve sempre ser utilizada para reduzir a miséria da condição humana, melhorando a qualidade de vida de todos, no presente e no futuro. De nada adianta retirar da terra o máximo que ela nos pode oferecer hoje com aplicação intensiva da tecnologia, se amanhã nada restará para os nossos descendentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Testezlaf, Universidade Estadual de Campinas

Formou-se em Engenharia Agrícola pela UNICAMP em 1979, obtendo nesta mesma universidade, o título de Mestre em Engenharia Agrícola em 1982. Obteve o título de Ph.D. em 1985, pela Oklahoma State University.

Referências

ABAG – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AGRIBUSINESS. Agribusiness brasileiro: a história. São
Paulo: Evoluir, 2002. 225 p.
ABIMAQ/CSEI. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS –
CÂMARA SETORIAL DE EQUIPAMENTOS DE IRRIGAÇÃO. Atualização da área irrigada
brasileira. Informe Interno. 2015. 2 p.
ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Disponível na Internet:
. Acesso janeiro de 2006.
AGRIMANAGERS. Irrigação: Análises para Projeto e seus Benefícios. 2010. Disponível em
beneficios/> Acesso em novembro 2010
AGROPOLO – Implementos Agrícolas. Produtos. Disponível em
Acesso em abril de 2010.
ALVES, D.G.; PINTO, M.F.; SALVADOR, C.A.; ALMEIDA, A.C.S.; ALMEIDA, C.D.G.C. de; BOTREL,
T.A. Modelagem para o dimensionamento de um sistema de microirrigação utilizando
microtubos ramificados. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina
Grande, v. 16, n. 2, p. 125-132, fev. 2012.
AMANCO. Irrigação. Disponível em
Acesso em abril de 2010.
ANA – AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS: “Agricultura irrigada; Estudo Técnico Preliminar”,
Brasília, DF, 2004, 107p.
ANA-AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Relatório de Conjunturas de Recursos Hídricos no
Brasil, 2009. Disponível em:

Acesso em 10 janeiro, 2011.
ANA – AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Levantamento da Agricultura Irrigada por Pivôs
Centrais no Brasil - 2014: relatório síntese / Agência Nacional de Águas. -- Brasília: ANA,
2016. 33 p.:
ANEEL – AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. Informações do setor elétrico – Gestão
dos potenciais hidráulicos, 2001. Disponível em Acesso em: 13
dez. 2001
ANTUNES, J. A. Coletânea particular de fotos de irrigação. Caçador: Gotejar/Irrigabrás. 2006.
ARTMASION. Jardins Verticais. Disponível na Internet:
Acesso em 16 de janeiro de 2017.
ASAE. Microirrigation for a changing world: Conserving Resource/ Preserving the
Environment. Proceedings of the fifth International Microirrigation Congress. Orlando,
Florida, 1986.
ASBRASIL S. A.. Perromatic. São Bernardo do Campo. 198-. 4 p. Catálogo Comercial.
AVELINO NETO, S. Tubo-gotejador: Uma alternativa tecnológica de baixo custo para a
irrigação por gotejamento. 2000. 77 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) –
Faculdade de Engenharia Agrícola/UNICAMP,
BANCO CENTRAL DO BRASIL. Anuário estatístico do crédito rural: 2000. Disponível em:
Acesso: 19 jul. 2001.
BARRETO, C. V. G.. Desenvolvimento de sistema de irrigação por capilaridade para produção
de porta-enxertos de limão cravo na fase de tubetes. 2011. 103 f. Tese (Doutorado em
Engenharia Agrícola). Faculdade de Engenharia Agrícola/UNICAMP.
BARRETO, C. V. G.; FERRAREZI, R. S.; TESTEZLAF, R.; ARRUDA, F. B. Growth and physiological
responses of Rangpur lime seedlings irrigated by a prototype subirrigation tray. HortScience,
v.50, n.1, p.123-129, 2015.
BARRIGOSSI, J. A. F, LANNA, A. C. FERREIRA, E. Agrotóxicos no cultivo do arroz no Brasil:
análise do consumo e medidas para reduzir o impacto ambiental negativo. EMBRAPA.
Circular Técnica n. 67, 8p. 2004.
BATISTA, H. S. Características Hidráulicas de um tubo exsudante para irrigação localizada.
2001. 60f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) – Faculdade de Engenharia
Agrícola/UNICAMP.
BATTISTELLA. Ind. e Comércio Ltda. TurboMaq – A chuva no momento certo. Curitiba, 199-. 4
p. Catálogo Comercial.
BAUER IRRIGAÇÃO. Produtos. Disponível. 2010 < http://www.bauer-br.com/pt>. Acesso em
fevereiro de 2010.
BEN-GAL, A.; NAFTALI, L.; SHANI, U... Subsurface drip irrigation in gravel-filled cavities.
Vadose Zone Journal. 2004 3: 1407–1413.
BERNARDES, L. Papel do governo e da iniciativa privada no desenvolvimento da agricultura
irrigada no Brasil. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE POLÍTICAS DE IRRIGAÇÃO E
DRENAGEM. Brasília, 1998. Anais... Brasília: MMA. 1998. 232p. p. 195-209.
BERNARDO, S.; SOARES, A. A.; MANTOVANI, E. C. Manual de irrigação. 8. Ed. Viçosa: UFV,
2008. 596 p.
BRAGA JÚNIOR, Roberto Alves; RABELO, Giovanni Francisco. Eletricidade na Agropecuária:
Qualidade e Conservação. Módulo II – Eletrificação Rural. UFLA/FAEPE: Lavras. 1997.158p.
CAFEPOINT. Gotejamento subterrâneo leva alta tecnologia e praticidade para o Cafeicultor.
Disponível em < http://www.cafepoint.com.br/> Acesso em fevereiro 2016.
CAMPOS, M. A. de. Demanda hídrica na cultura do tomate de mesa irrigada por sulcos. 2005.
77 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) – Faculdade de Engenharia
Agrícola/UNICAMP.
CAMPOS, M. A.; TESTEZLAF, R. Simulação da eficiência e da redução do consumo de água na
produção do tomate de mesa sob irrigação por sulcos. Engenharia na Agricultura, Viçosa –
MG, V.17 N.5, Setembro / Outubro 2009, pp. 375 – 382.
CARDOSO, J. L. Desenvolvimento agroindustrial, impactos ambientais e gestão de empresas
agrícolas: uma análise regional. Campinas: FEAGRI/UNICAMP, 1996. 19 p. (Apresentado no
“Congreso Internacional de Ciencias Sociales de America”, San Luis de Potosi, México, 2 a 6
jul. 1996).
CARDOSO, J. L. Política de financiamento rural: antecedentes e perspectivas. Campinas:
FEAGRI/UNICAMP, 2001. 12 p. Fórum de Debates, Módulo de Política Agrícola, da CIENTEC
2001 – Mostra de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento, UNICAMP, Campinas, SP,
2001.
CARON, J.E., D.E. BEESON, AND R. BOUDREAU. Defining critical capillary rise properties for
growing media in nurseries. Soil Sci. Soc. Amer. J. 69:794–806. 2005.
CARVALHO JÚNIOR, A. C.; MARTINS, D. P.; MONNERAT, P. H.; BERNARDO, S. Adubação
nitrogenada e irrigação no maracujazeiro-amarelo. I. Produtividade e qualidade dos frutos.
Pesq. Agropec. Bras. [online]. 2000, vol.35, n.6, pp. 1101-1108.
CEMIG- COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS. Estudo de otimização energética. Belo
Horizonte: CEMIG. 1993. 22p.
CHRISTIANSEN, E. J. Irrigation by sprinkling. Berkeley, University of California Experiment
Station. Bulletin 670. 1942, 124p.
CHRISTOFIDIS, D. Situação das áreas irrigadas: Métodos e equipamentos de irrigação. In:
CICLO DE PALESTRAS DA SECRETARIA DE RECURSOS HÍDRICOS. Brasília, 1997. Anais...
Brasília: SRH 1997. Disponível em: Acesso em: 23 out. 2001.
CHRISTOFIDIS, D. Os recursos hídricos e a prática da irrigação no Brasil e no mundo. Revista
ITEM: Irrigação e Tecnologia. Brasília, DF, n. 49. P. 8-13. 1o trim.2001.
CHRISTOFIDIS, D. Irrigação: A Fronteira Hídrica na Produção de Alimentos. Revista Item No
54, 2o Trim. 2002, Brasília, ISSN 0101-115X.
CLARK, G. A. Microirrigation in the Landscape. University of Florida, Institute of Food and
Agricultural Sciences, Fact Sheet AE-254, July 1994, 2p.
CLARK, G.A., B. K. HARBAUGH, E C.D. STANLEY. Irrigation of container and field grown
ornamentals: systems and management guidelines. University of Florida: Gainesville., IFAS
Circular 808. 1994.
CLARK, G.A.; STANLEY, C. D.; SMAJSTRLA, A. Microirrigation on mulched bed systems:
components, system capacities, and management. University of Florida. IFAS Bul. 245, março-
1993.
CNRH – CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS. Lei no 9.433, de 8 de janeiro de
1997 que institui a PNRH – Política Nacional de Recursos Hídricos. Disponível em:
Acesso em: 19 abr. 2002.
CNRH – CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS. Lei no 9.984, de 17 de julho de 2000
que cria a ANA – Agência Nacional de Águas. Disponível em: srh.gov.br/orgaos/index.htm> Acesso em: 19 abr. 2002.
COLETTI, C. Impactos na disponibilidade hídrica da Bacia Hidrográfica do Rio das Pedras pelo
uso da irrigação por sulcos na cultura do tomate. 2005. 155 f. Tese (Doutorado em
Engenharia Agrícola) Faculdade de Engenharia Agrícola/UNICAMP.
COLETTI, C.; TESTEZLAF, R. ; RIBEIRO, T. A. P. ; SOUZA, R. T. G. ; PEREIRA, D. A. Water quality
index using multivariate factorial analysis. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e
Ambiental, v. 14, p. 517-522, 2010.
CONAB – COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Pesquisa de Safras e Informações
Geográficas da Agricultura Brasileira. Disponível em: <
http://www.conab.gov.br/conteudos.php?a=1534&t=2> Acesso em 30 de outubro de 2015.
CONAMA – CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução no 284 , de 30 de agosto
de 2001 que dispõe sobre o licenciamento de empreendimentos de irrigação. Online.
Disponível em: Acesso em: 15 jul. 2002
CSU-EXTENSION. Colorado State University Extension. Subsurface Drip Irrigation (SDI)
Disponível em < http://extension.colostate.edu/topic-areas/agriculture/subsurface-drip-
irrigation-sdi-4-716/). Acesso em abril de 2010.
DAEE – DEPARTAMENTO DE ÁGUAS E ENERGIA ELÉTRICA. Programa: Cadastro de
Irrigantes – 2a Etapa – Leste. São Paulo: DAEE. 1992. N.p. (Relatório Final).
DASBERG, S. & BRESLER, E. Drip irrigation manual. International Irrigation Information
Center. Israel, 1985.
DAVIS, S. Proceedings 3rd. Annual Drip Irrigation Seminar. University of California.
Agricultural Extension Service. San Diego County. Escondido Union High School. California,
1972.
DAVIS, S. & PUGH, W.J. Proceedings of the 2o International Drip Irrigation Congress. San
Diego. California, 1974.
DAVIS, S. Proceedings 4th . Annual Drip Irrigation Seminar. University of California.
Agricultural Extension Service. San Diego County. Fallbrook, California, 1973.
DILLEHAY T. D.; ELING, JR, H. H;, ROSSEN, J. Preceramic irrigation canals in the Peruvian
Andes. PNAS November 22, 2005 vol. 102 n. 47 pp 17241–17244
DOLE, J.M., J.C. COLE; S.L. VON BROEMBSEN. Growth of poinsettias, nutrient leaching, and
water-use efficiency respond to irrigation methods. HortScience 29:858–864. 1994.
DRUMOND, L.C.D.; FERNANDES, A.L.T. Irrigação por aspersão em malha. Uberaba: Ed.
Universidade de Uberaba, 2001. 84 p.
ECOEFICIENTES. Sistema de hidroponia. Disponível em <
http://www.ecoeficientes.com.br/o-que-e-hidroponia/sistema-de-hidroponia/> Acesso em
fevereiro de 2016.
EHMKE, T. 2014. Subsurface drip irrigation: Battling drought, water restrictions, and
declining groundwater. Crops & Soils Magazine. Disponível em
Acesso em fevereiro de
2016.
EPAMIG – EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DE MINAS GERAIS. Hidroponia: Uma
Técnica Alternativa de Cultivo. Disponível em
http://www.epamig.br/index.php?option=com_docman&task=cat_view&gid=63&Itemid=10
9. Acesso em10 setembro, 2010.
E-WATER. Um outro olhar sobre a água. Disponível em more-i-prichiny-ego-gibeli/> Acesso em janeiro 2017.
FABRIMAR. Irrigação. Disponível em
Acesso em maio de 2010.
FERNANDES, A. L. T.; TESTEZLAF, R.. Fertirrigação na cultura do melão em ambiente
protegido, utilizando-se fertilizantes organominerais e químicos. Revista Brasileira de
Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, PB, v. 6, n. 1, p. 45-50, 2002.
FERRAREZI, R. S.; FERREIRA FILHO, A. C.; TESTEZLAF, R. A retenção de umidade em
substratos utilizados em subirrigação é influenciada pela altura de lâmina e tempo de
permanência de água. Horticultura Brasileira (prelo) 2016.
FERRAREZI, R. S.; TESTEZLAF, R. Performance of wick irrigation system using self-
compensating benches with substrates for lettuce production. Journal of Plant Nutrition, v.39,
n.1, p.150-164, 2016.
FERRAREZI, R. S.; VAN IERSEL, M. W.; TESTEZLAF, R. Monitoring and controlling ebb-and-
flow subirrigation with soil moisture sensors. HortScience, v.50, n.3, p.447-453, 2015a.
FERRAREZI, R. S.; VAN IERSEL, M. W.; TESTEZLAF, R. Plant growth response of subirrigated
salvia ‘Vista Red’ to increasing water levels at two substrates. Horticultura Brasileira, v.34,
n.2, p. 195-202, 2016.
FERRAREZI, R. S.; VAN IERSEL, M. W.; TESTEZLAF, R. Subirrigation automated by capacitance
sensors for salvia production. Horticultura Brasileira, v.32, n.3, p.314-320, 2014.
FERRAREZI, R. S.; VAN IERSEL, M. W.; TESTEZLAF, R. Uso da subirrigação para imposição de
estresse hídrico em sistema semi-contínuo para medição de CO2. Ornamental Horticulture,
v.21, n.2, p.235-242, 2015c.
FERRAREZI, R. S.; WEAVER, G. M.; VAN IERSEL, M. W.; TESTEZLAF, R. Subirrigation:
Historical overview, challenges, and future prospects. HortTechnology, v.25, n.3, p.262-276,
2015b.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário da língua portuguesa. 5. ed. Curitiba:
Positivo, 2010. 2222 p.
FLICKR. Aspersores em pastagem de alfafa. Disponível em:
Acesso em
outubro, 2010.
FOCKINK. Sistema de Irrigação. Disponível em Acesso em
maio de 2010.
FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS - FAO 1996. Disponível
em: Acesso em: 28 maio
2002.
FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS (FAO). Food
production: the critical role of water. In: WORLD FOOD SUMMIT. Roma, 1996. Anais... Roma:
FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS (FAO). Food and
Agriculture Organization of the United Nations Statistical Databases (FAOSTAT), FAOSTAT
Agriculture Data, 2000. Obtido via base de dados FAOSTAT. 1960-1999. Disponível
em: Acesso em: 5 nov. 2001.
FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS (FAO). The State of the
World's Land and Water Resources for food and agriculture. Disponível em
. Acesso em 30 de outubro de
2015.
FRAGMAQ. O que é hidroponia e como ela funciona? Disponível em
Acesso fevereiro de 2016.
FRANÇA, F. M. C. Políticas e Estratégias para um novo modelo de irrigação. Documento
Síntese. Fortaleza. Banco do Nordeste. 2001. 127p.
FRANÇA, F. M. C.. A importância do Agronegócio da Irrigação para o desenvolvimento do
Nordeste. Série Políticas e estratégia para um novo modelo de irrigação. Fortaleza. Banco do
Nordeste. 2001b. 113p.
FRIZZONE, J. A. Irrigação por aspersão: Uniformidade e Eficiência. Piracicaba: ESALQ/USP,
Departamento de Engenharia Rural, Série Didática n.o 003, 1992, 53p.
FURLANI PR; SILVEIRA LCP; BOLONHESI D; FAQUIN V. 1999. Cultivo hidropônico de plantas.
Campinas: IAC. 52p (Boletim Técnico 180).
GARRIDO, R.. Considerações sobre a formação de preços para a cobrança pelo uso da água no
Brasil. In: THAME, Antonio Carlos de Mendes. A cobrança pelo uso da água. São Paulo: IQUAL,
Instituto de Qualificação e Editoração LTDA, 2000. P. 57-91.
GEOFLOW. Agriculture Products. Disponível em
Acesso em abril 2011.
GEOTIMES. Salinity in the Landscape: A Growing Problem in Australia. 2008. Disponível
em Acesso em maio
de 2012.
GOMES, A. W. A.; FRIZZONE, J. A.; RETTORE NETO, O.; MIRANDA, J. H. de. Perda de carga
localizada em gotejadores integrados em tubos de polietileno. Eng. Agríc. [online]. 2010,
vol.30, n.3, pp. 435-446.
GOMES, E. P. Viabilidade de Mudanças Tecnológicas na Irrigação da Tomaticultura de Mesa.
2005. 95 f. Tese (Doutorado em Engenharia Agrícola) – Faculdade de Engenharia
Agrícola/UNICAMP.
GPID - GRUPO DE PRÁTICAS DE IRRIGAÇÃO E DRENAGEM – ESALQ/USP. Custos de
implantação e operação da irrigação de pastagens. Disponível em <
https://gpidesalq.wordpress.com/2013/06/> Acesso em janeiro de 2016.
GRAMOLELLI JUNIOR, F.; MATSURA, E. E.; WEILL, M. M. Diagnóstico del uso del agua en la
irrigación de culturas de la cuenca de rio Jundiaí-Mirim. In: VI Congreso Latino Americano y
del Caribe, 2004, San Jose. VI Congreso Latino Americano Y del Caribe Ingenieria Agricola.
2004. V. 1, p. 1-8.
HAMAN, D.Z., A.G. SMAJSTRLA, E F.S. ZAZUETA. 1986. Media filters for trickle irrigation in
Florida. Extension fact sheet (AE-57), IFAS, University of Florida, Gainesville, FL. 32611.
HAMAN, D.Z., A.G. SMAJSTRLA, E F.S. ZAZUETA. 1987. Filters for trickle irrigation in Florida.
Extension fact sheet (AE-61), IFAS, University of Florida, Gainesville, FL. 32611.
HART. W. E. Analytical design of sprinkler system. Transactions of the ASAE, St. Joseph, n.9,
v.1, p. 83-85, 1965.
HERNANDEZ, F. B. T. Área de hidráulica e irrigação – FEIS/UNESP. Disponível em
. Acesso janeiro de 2010.
HILLEL, D. Advances in Irrigation. Academic Press Inc., New York, 1982.
HILLS, D. J.; YITAYEW, M. Bubbler Irrigation. In: Developments in Agricultural Engineering.
2007. Vol. 13, pp. 553-573.
HOSSOKAWA, T. 1997. Estudo dos elementos meteorológicos na estimativa da
evapotranspiração potencial em casa de vegetação. Dissertação (Mestrado). Faculdade de
Engenharia Agrícola/UNICAMP, 94 p.
HÜBENER, R. The History of Sprinkler Irrigation - Part 3. Journal of Applied Irrigation
Science (Zeitschrift für Bewässerungswirtschaft), n.2, v. 31 pp. 207-230, 1996. (Article in
German)
HUNTER INDUSTRIES. Inundadores. Disponível em
Acesso em janeiro
de 2016
INCROCCI, L., MALORGIO, F., DELLA BARTOLA, A., AND PARDOSSI, A. The influence of drip
irrigation or subirrigation on tomato grown in closed-loop substrate culture with saline
water. Scientia Horticulturae 107(4), 365-372. 2006.
IFAS. Institute of Food and Agriculture Science. University of Florida. Disponível em
Acesso em maio de 2010.
IICA/MI – INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA/
MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL. Análise territorial para o desenvolvimento da
agricultura irrigada no Brasil. Disponível em
Acesso em 30 de outubro de 2015.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Agropecuário de
1995. Disponível em: economia/agropecuaria/censoagro/default.shtm> Acesso em outubro de 2001.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Levantamento Sistemático
da Produção Agrícola-Rendimento Médio-Safra de 2001. Disponível
em: Acesso em junho de
2002.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Agropecuário de
2006: Segunda Apuração Disponível em: catalogo?view=detalhes&id=261914> Acesso em outubro de 2015.
INSTITUTO DE ECONOMIA AGRÍCOLA (IEA/SP), Anuário. Estatísticas de Produção – Milho
safrinha para os anos de 1998, 1999, 2000 e 2001 Disponível em:
Acesso em maio de 2002.
IRRIGATION AUSTRALIA ASSOCIATION. Range of industry publications. Annual Report 2004-
2005. Disponível em futures> Acesso maio de 2012.
IRRIGATION DIRECT. History of drip Irrigation. Disponível em
overview/history-of-drip-irrigation> Acesso em janeiro de 2016.
IRRIGATION MUSEUM. Parasol Lawn Sprinkler. Disponível em <
http://www.irrigationmuseum.org/photos/05ad_12.jpg> Acesso em outubro 2010a.
IRRIGATION MUSEUM. Impact Sprinkler Prototype. Disponível em <
http://www.irrigationmuseum.org/item1.aspx?id=155>. Acesso em outubro 2010b.
IRRIMAGRAN – Sistemas de irrigação e máquinas agrícolas. Canhão hidráulico. Disponível em
Acesso em março 2010.
IRRITEC. Solução para irrigação. Disponível em Acesso em
agosto de 2013.
ISRAELAGRI. Israeli Agriculture International Portal. Unique Fertigation Products from ICL.
Disponível em Acesso em
fevereiro de 2016.
JAIN – Irrigation Systems Ltd. Layout of Jain Sprinkler Irrigation System. Disponível em
Acesso em março de 2010.
JAMES, L.G. Principles of farm irrigation system design. John Wiley & Sons. New York. 543 p.
1988.
JAMES, E.C.; M.W. VAN IERSEL. Fertilizer concentration affects growth and flowering of
subirrigated petunias and begonias. HortScience 36:40–44. 2001.
JENSEN, M.E. Design and Operation of Farm Irrigation Systems. 3a Ed. St. Joseph (MI): ASAE.
1980, 829 p.
KANSAS STATE UNIVERSITY. Research and extension – SDI. Disponível em
Acesso em maio 2011.
KELLER, J.; BLIESNER, R.D. Sprinkler and trickle irrigation. Van Nostrand Reinhold, New York,
1990.
KELMAN, J.. Outorga e cobrança de Recursos hídricos. In: THAME, A. C. de M.. A cobrança pelo
uso da água. São Paulo: IQUAL, Instituto de Qualificação e Editoração LTDA, 2000. P. 93-113.
KHAN, A. S., NEIVA, A. C. G. R., SILVA, L. M. R. Projeto São José e o desenvolvimento rural no
Estado do Ceará. Revista de Economia e Sociologia Rural: SOBER, v. 39, n. 3, jul./set. 2001, p.
143-171.
KIZER, M. Subsurface Drip Irrigation. Oklahoma State University Extension Irrigation.
Disponível < http://documentslide.com/documents/subsurface-drip-irrigation-sdi-michael-
kizer-osu-extension-irrigation-specialist.html> Acesso em junho de 2011
KREBSFER SISTEMAS DE IRRIGAÇÃO. Disponível em
Acesso em dezembro de 2016.
K-STATE. Kansas State University Research and Extension. Welcome to SDI in the Great
Plains. Disponível em Acesso em maio de 2010.
LAVIOLA, B.G., H.E.P. MARTINEZ; A.L. MAURI. Influence of the level of fertilization of the
matrix plants in the formation of seedlings of coffee plants in hydroponic systems. Ciência e
Agrotecnologia 31:1043–1047, 2007.
LEME, M. P. Alimentação inteligente – Hidropônicos ou orgânicos . Disponível em <
http://alimentacaointeligente.com.br/hidroponicos-ou-organicos/>. Acesso em fevereiro de
2016.
LIMA, J. E. F. W., FERREIRA, R. S. A., CHRISTOFIDIS, D. 2002. Estudo do uso da água e energia
elétrica para irrigação no Brasil. Disponível em: Acesso
em dezembro 2010.
LINDSAY BRASIL. Soluções em Irrigação. Disponível em
Acesso em outubro 2011.
MAHLEUR EXPERIMENTAL STATION. Best Management Practices - Cost and Benefits of
Surge Irrigation. Disponível em < http://www.cropinfo.net/BestPractices/bmp-
SurgeIrrigation.php> Acesso em: 13 dez. 2010
MALASSIS, L.. Economie agro-alimentaire: économie de la consommation et de la production
agro-alimentaire. Paris: Cujas, 1979. 437 p.
MAROUELLI, W. A.; SILVA, W.L.C. Seleção de sistemas de irrigação para hortaliças. Brasília:
Embrapa. 1998. 15p.
MERGULHÃO, M.C.R. 1992 Distribuição de gotas por tamanho em dois modelos de aspersores
tipo canhão hidráulico na ausência de vento. 1992. 57 f. Dissertação (Mestrado). Universidade
Federal de Viçosa. Viçosa. 1992.
MESQUITA, M. Avaliação dos componentes hidráulicos e do material filtrante em filtros de
areia utilizados na irrigação. 2010. 120 f. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Engenharia
Agrícola - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.
MILLION, J.B., J.E. BARRETT, T.A. NELL; D.G. CLARK. Inhibiting growth of flowering crops with
ancymidol and paclobutrazol in subirrigation water. HortScience 34:1103–1105. 1999.
MINAMI, K. Produção de mudas de alta qualidade em horticultura. São Paulo: T. A. Queiroz,
1995, p.133.
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO. Plano de safra 1998/99. Brasília,
1998. 56 p. (Série Documento).
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Síntese do Plano Agrícola e
Pecuário 2002/2003. Disponível em: Acesso em: 11 jul.
2002.
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Plano Agrícola e Pecuário
2015/2016. Disponível em:< http://www.agricultura.gov.br/pap> Acesso em: 30 de outubro
2015.
MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA. Balanço energético nacional ano base 2000. Disponível
em: Acesso em: 15 dez. 2001.
MIRANDA NETO, A. da C., MARCON, H.. O abastecimento público. In: THAME, Antonio Carlos
de Mendes. A cobrança pelo uso da água. São Paulo: IQUAL, Instituto de Qualificação e
Editoração LTDA, 2000. P. 183-186.
NAANDANJAIN. Irrigação por gotejamento. Disponível em

Acesso em junho 2011.
NAKAYAMA, F. S.; BUCKS, D. A. Trickle Irrigation for Crop Production. 2. Ed. Amsterdam:
Elsivier, 1986.
NEAL, C. A.; R. W. HENLEY; ZAZUETA, F.S.. 1995. Energy efficiency and water use of four
greenhouse irrigation systems. Extension fact sheet (EES-118), IFAS, University of Florida,
Gainesville, FL. 32611.
NELSON IRRIGATION. Irrigation. Disponível em Acesso
em maio de 2012.
NEMUS – Empowering Sustainability Disponível em
subsystem> Acesso em maio de 2012.
NETAFIM. Blass sign agrément to produce first commercial dripper Disponível em <
http://www.netafimlegacy.com/timeline> Acesso em janeiro de 2016.
NETAFIM. Produtos e Serviços; Disponível em systems-products> Acesso em janeiro de 2011.
NOVAES, W.. Os dramas da irrigação. Disponível em editorias/00/09/08/aberto001.html.> Acesso em: 27 agosto 2001.
NÚCLEO DE ESTUDO EM FRUTICULTURA NO CERRADO. Universidade Federal de Uberlândia.
Instituto de Ciências Agrárias. Sistemas de Irrigação. Disponível em
. Acesso em janeiro de 2016.
OLITTA, A.F.L. Os métodos de irrigação. São Paulo. Nobel. 277 p. 1986.
OLIVEIRA, A.; COELHO, E. F.. Irrigação e Recursos Hídricos. Disponível em:
Acesso em: 26 de jun.
2000.
PASCUAL B., MAROTO J.V., SANBAUTISTA, A., LOPEZ-GALARZA S., ALAGARDA Influence of
watering on the yield and cracking of cherry, fresh-market and processing tomatoes. Journal
of Horticultural Science & Biotechnology, 75: (2) 171-175, 2000.
PASSEROTTI, F. R. Irrigação Subterrânea por tubo exsudante no desenvolvimento da cultura
do morangueiro. 2000. 54f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) – Faculdade de
Engenharia Agrícola/UNICAMP.
PETE MORTIMER. Agricultural Research Service - USDA Photos. Disponível em
Acesso em abril 2014.
PITTS, D.; PETERSON, K.; GILBERT, G.; FASTENAU, R. Mobile Lab for Evaluating Irrigation
System Performance. ASAE PAPER n. 95-2370, 1995.
POMPEU, C. T. Fundamentos jurídicos do anteprojeto de lei da cobrança pelo uso das águas
do domínio do Estado de São Paulo. In: THAME, Antonio Carlos de Mendes. A cobrança pelo
uso da água. São Paulo: IQUAL, Instituto de Qualificação e Editoração LTDA, 2000. P. 41-53.
PORITEX Tubos de exsudação Disponível em . Acesso em maio 2010.
PRONI – PROGRAMA NACIONAL DE IRRIGAÇÃO. Relatório de Realização 1986-1988. Brasília.
Ministério Extraordinário da Irrigação. 1989. 95 p.
PRONI. PROGRAMA NACIONAL DE IRRIGAÇÃO. Tempo de irrigar: Manual do irrigante. São
Paulo. Mater. 160 p. 1987.
PUIUPOL L.U., BEHBOUDIAN M.H., FISHER K.J. Growth, yield, and postharvest attributes of
glasshouse tomatoes produced under deficit irrigation Hortscience 31: (6) 926-929, 1996.
QUEIROZ, S. de O. P.; TESTEZLAF, R.. Perigo de salinização em ambientes protegidos. ITEM.
Irrigação e Tecnologia Moderna, ABID – Brasília, DF, v. 53, p. 38-39, 2002.
QUEIRÓZ, S. O. P.; TESTEZLAF, R.; MATSURA, E. E.. Metodologia para avaliação da salinidade
do solo em ambiente protegido. Irriga (UNESP. CD-ROM), v. 14, p. 383-397, 2009.
RAINBIRD SPRINKLERS SYSTEMS. Gear-Driven Rotors. Disponível em
. Acesso em abril 2010.
RAINBIRD SPRINKLERS SYSTEMS. Aspersores de Impacto. Disponível em
.
Acesso em janeiro 2015.
RAINBIRD SPRINKLERS SYSTEMS. Drip Irrigation/Xerigation. Disponível em <
http://www.rainbird.com/landscape/products/Drip-Irrigation.htm>. Acesso em janeiro
2016.
REBOUÇAS, A. da C. Panorama da água doce no Brasil. In: REBOUÇAS, Aldo da C. (Org.).
Panoramas da degradação do ar, da água doce e da terra no Brasil. São Paulo: IEA/USP; Rio de
Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 1997. 150 p
REBOUÇAS, A. da C., BRAGA JR.. G. TUNDISI, J. G. Águas Doces no Brasil: Capital Ecológico, Uso
e Conservação. São Paulo: Escrituras Editora. 3a. Ed. 1999. 717 p.
REINDERS, F.B. Micro Irrigation: A World Overview. Proceedings of 6th International Micro
Irrigation Congress, South Africa. 2000.
RESENDE, R. S.; CASARINI, E.; FOLEGATTI, M. V.; COELHO, R. D.. Ocorrência de entupimento
de origem biológica em sistema de irrigação por gotejamento. Rev. bras. eng. agríc. ambient.
2001, vol.5, n.1, pp.156-160.
RIBEIRO, M. D.; FERRAREZI, R. S.; TESTEZLAF, R. Assessment of subirrigation performance in
eucalyptus seedling production. HortTechnology, v.24, n.2, p.231-237, 2014.
RIBEIRO, M. D.; FERRAREZI, R. S.; TESTEZLAF, R. Equacionamento de parâmetros
operacionais para o manejo de mesas de subirrigação. Horticultura Brasileira, no prelo, 2016.
RICHARDS, D.L.; REED, D.W.. New Guinea impatiens growth response and nutrient release
from controlled-release fertilizer in a recirculating subirrigation and top-watering system.
HortScience 39:280-286. 2004.
RIVULIS IRRIGATION. Produtos. Disponível em
Acesso em novembro 2015.
RODRIGUES, F.. Custos e Benefícios da Irrigação no Brasil. Revista ITEM: Irrigação e
Tecnologia Moderna. Brasília. ABID. Ed. No 41. Junho de 1990.
RODRIGUES, L.R.F., 2002. Técnicas de cultivo hidropônico e de controle ambiental no manejo
de pragas, doenças e nutrição vegetal em ambiente protegido. Funep, Jaboticabal, SP.
ROSSETTI, L. A.. Seguridade e o Zoneamento Agrícola no Brasil – Novos Rumos. In: I
Seminário Brasileiro de Zoneamento Agrícola. São Paulo 2000. Anais... São Paulo: 2000.
Disponível em:,
26/06/2000.
ROSSI, L. A. ; TESTEZLAF, R. ; MATSURA, E. E. . Relatório Final do Projeto de Pesquisa:
Caracterização de Tecnologias de Produção Agrícola em Propriedades Rurais na Área de
Concessão da CPFL/PIRATINIGA. 2003. (Relatório de pesquisa )
ROUPHAEL, Y., M. CARDARELLI, E. REA, A. BATTISTELLI; G. COLLA. Comparison of the
subirrigation and drip-irrigation systems for greenhouse zucchini squash production using
saline and non-saline nutrient solutions. Agr. Water Mgt. 82:99–117, 2006.
SALATI, E., LEMOS, H. M., SALATI, E.. Água e o desenvolvimento sustentável. In: REBOUÇAS,
Aldo da C., BRAGA, Benedito, TUNDISI, José Galizia (org.). Águas doces no Brasil, capital
ecológico, uso e conservação. São Paulo, 2000. P. 39-63.
SALVADOR, C. A. Sistema de irrigação por capilaridade para produção de porta-enxertos de
mudas cítricas na fase sementeira. 2010. 105 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia
Agrícola) – Faculdade de Engenharia Agrícola/UNICAMP.
SANTENO – Soluções em Irrigação. Produtos para irrigação. Disponível em
Acesso em maio 2015.
SCALOPPI, E.J. Irrigação por superfície. In: MIRANDA, J.H.; PIRES, C.R.M. Irrigação. (Série
Engenharia Agrícola, 2). Piracicaba: FUNEP, 2003. p. 311-470.
SCIENCE ONLINE. The soil pollution and the soil protection from pollution. 2014. Disponível
em > Acesso em janeiro de 2017.
SENNINGER. Agricultural Irrigation. Disponível em Acesso
em junho 2012.
SHEPERSKY, K. Landscape Drip Irrigation Design Manual. Rain Bird International, 1984
SILVA, E.R.; LEMOS FILHO, M. A. F.; ZANINI, J. R. A importância da qualidade da água. Revista
Ciência & Prática. GTACC: Barretos, SP n. 32, p. 19-26. 2009
SILVA, S. M. . Características da evolução da eletrificação rural no Brasil. 1994. 112f. Tese
(Doutorado em Agronomia)- Curso de Pós-Graduação em Energia na Agricultura. Faculdade
de Ciências Agrárias, Unesp: Botucatu..
SMAJSTRLA, A.G., D.S. HARRISON, W.J. BECKER, F.S. ZAZUETA, AND D.Z. HAMAN. 1985.
Backflow Prevention Requirements for Florida Irrigation Systems IFAS Bulletin 217. Univ. of
Fla. 13 p.
SOLOMON, K. H. Yield related interpretations of irrigation uniformity and efficiency
measurements. Irrigation Science, New York, n.5, p. 161-172, 1984.
SOUSA, V.F., COELHO, E.F., DE SOUZA, V.A.B. Irrigation frequency in melon crop cultivated in
sandy soil. Pesquisa Agropecuária Brasileira 34: (4) 659-664, 1999.
SWCD-Soil Water Conservation District. Malheur Experiment Station. Oregon State University
Disponível em Acesso em
2010.
SYSTEMAGOTAS. Irrigação. Disponível em Acesso
setembro 2011.
TESISAT DUNYASI. Hidrosiklon filtre. Disponível em
Acesso
em janeiro de 2016.
TESSLER, M. H. I Curso Básico de Irrigação. Módulo III- Métodos de irrigação. Irrigação por
gotejamento. PRONI- Programa Nacional de irrigação. UNICAMP, Faculdade de Engenharia
Agrícola- Depto. de Água e Solo. Campinas, 1986.
TESSLER, M. H. I. S.D.I. Subsurface Drip Irrigation - Aplicação no cultivo de cana de açúcar
NETAFIM. Apresentação Power Point. 1999.
TESTEZLAF, R.. Uso da irrigação em ambientes protegidos: cuidados e atenções. ITEM.
Irrigação e Tecnologia Moderna, ABID, Brasília, DF, v. 53, p. 18-22, 2002.
TESTEZLAF, R.; DEUS, F. P., MESQUITA, M. Filtros de areia na irrigação localizada. Campinas,
SP: Unicamp/Faculdade de Engenharia Agrícola, 2014. 56p.
TESTEZLAF, R.; MATSURA, E. E.. Impactos do uso da tecnologia de irrigação na cultura do
café. In: Curso de Cafeicultura Irrigada. Uberaba: UNIUBE, 2001.
TESTEZLAF, R.; MATSURA, E. E.. Engenharia de irrigação: tubos e acessórios. Campinas, SP:
Unicamp/Faculdade de Engenharia Agrícola, 2015. 153p.
TESTEZLAF, R.; MATSURA, E. E.; CARDOSO, J. L.. A importância da irrigação no
desenvolvimento do agronegócio. AGROLÓGICA: FEAGRI/UNICAMP. 2002. 45p.
TESTEZLAF, R., VOLPI, A. P. Caracterização das empresas fabricantes de equipamentos de
irrigação no Brasil. 2001. 55 f. Iniciação Científica. (Graduando em Engenharia Agrícola) –
Faculdade de Engenharia Agrícola/UNICAMP.
TEXAS AGRILIFE EXTENSION. TEXAS A&M UNIVERSITY. School of Irrigation. Disponível em
Acesso em abril 2012.
THOMPSON, C. UGA Researching ways to control pests that damage pecan tree roots.
Disponível em control-pests-that-damage-pecan-tree-roots/>. Acesso em novembro de 2014
THREADGILL, E. D. Chemigation via sprinkler irrigation: currents status and future
development. Applied Engineering in Agriculture, St. Joseph, v. 1, n. 1, p.16-23, 1985.
TIGRE. Irrigação. Tubos Fixos. Disponível em fixos> Acesso em outubro 2011.
TRADEINDIA - Metal Impact Sprinkler Disponível em < http://jalpari.tradeindia.com/metal-
impact-sprinkler.html> Acesso em abril, 2010.
TUDOHIDROPONIA. Floating: um tipo de hidroponia. Disponível em
Acesso em fevereiro de 2016.
UFJF - UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. Especialização em Engenharia de
Segurança do Trabalho. Manutenção e engenharia de segurança. Disponível em
Acesso em janeiro de 2017.
UNESP-FEIS – UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Faculdade de Engenharia de Ilha
Solteira. Área de hidráulica e irrigação. Disponível em
Acesso em março de 2010.
UNIVERSITY OF CALIFORNIA. Statewide IPM Program. Disponível em
Acesso em setembro 2011.
UNIVERSITY OF FLORIDA - IFAS. Agriculture Solutions. Disponível em
Acesso dezembro 2012.
USDA – UNITED STATE DEPARTMENT OF AGRICULTURE. The Census of Agriculture: 2008
Farm and Ranch Irrigation Survey. Disponível em:
http://www.agcensus.usda.gov/Surveys/Irrigation_Survey/index.asp. Acesso em 12 abril,
2010.
UVA, W.F.L., T.C. WEILER; R.A. MILLIGAN. A survey on the planning and adoption of zero
runoff subirrigation systems in greenhouse operations. HortScience 36:167–173. 1998.
UVA, W.F.L., T.C. WEILER; R.A. MILLIGAN. Economic analysis of adopting zero runoff
subirrigation in greenhouse operations in the northeast and north central United States.
HortScience 36: 167–173, 2001.
VALMONT – Valley irrigação. Sistemas Lineares. Disponível em
Acesso em janeiro 2016
VAN DER GAAG, D.J., A. KERSSIES; C. LANSER. Spread of phytophthora root and crown rot in
saintpaulia, gerbera and spathiphyllum pot plants in ebb-and-flowsystems. Eur. J. Plant
Pathol. 107:535–542. 2001.
VAN IERSEL, M.W., R.D. OETTING, D.B. HALL; J.G. KANG. Application technique and irrigation
method affect imidacloprid control of silverleaf whiteflies (Homoptera: Aleyrodidae) on
poinsettias. J. Econ. Entomol. 94:666–672. 2001.
VERMEREIN, L.; JOBLING, G. A. Irrigação Localizada. Tradução H.R. Gheyi et al. 1. Ed. Campina
Grande: UFPB, 1997.184p. (Boletim FAO n.36: Irrigação e Drenagem.)
VIEIRA, D.B. As técnicas de irrigação. 1. Ed. São Paulo: Ed. Globo, 1989. 263p.
VIRGINA STATE UNIVERSITY. Virginia Cooperative Extension. Agriculture. Disponível em
Acesso em maio de 2011.
WIKIPEDIA. Temas variados. Disponível em
Acesso em
maio de 2010.
WILEN, C.A., SCHUCH, U.K.; ELMORE, C.L.. Mulches and subirrigation control weeds in
container production. Journal of Environmental Horticulture 17:174-179. 1999.
WONG, T. Types of hydroponic systems. Disponível em
. Acesso
fevereiro de 2016.
WORLDWATCH INSTITUTE. State of the World. 1996. Disponível em
Acesso fevereiro de 2010.
ZAFFARONI, E.; TAVARES, V. E.. O licenciamento ambiental dos produtores de arroz irrigado
no Rio Grande do Sul, Brasil.. Online. Disponível em:
Acesso em: 15 jul. 2002.
ZOTARELLI, L; RENS, L.; BARRETT, C; CANTLIFFE, D. J.; DUKES, M. D.; CLARK, M. LANDS, S.
Subsurface Drip Irrigation (SDI) for Enhanced Water Distribution: SDI - Seepage Hybrid
System. University of Florida: Gainesville, IFAS, Bulletin HS1217. 2013.
Capa para Irrigação: métodos, sistemas e aplicações
Publicado
abril 9, 2018

Detalhes sobre essa publicação

ISBN-13 (15)
978-85-99678-10-7
Date of first publication (11)
2017
Dimensões físicas
21mmx14mmx2mm