Motivos de adesão à prática de atividade física em mulheres

Autores

  • Carlos Aparecido Zamai Universidade Estadual de Campinas
  • Cláudia Maria Peres Universidade Estadual de Campinas
  • Camila Martins de Queiroz Universidade Estadual de Campinas
  • Gabriela C. Dos Reis Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8894

Palavras-chave:

Programas de atividade física. Motivos. Saúde. Mulheres.

Resumo

A atividade física é indicada como alternativa para minimizar as alterações decorrentes do avanço da idade, além disso, considerando que os declínios fisiológicos na vida do ser humano iniciam-se na meia-idade e se acentua com o passar dos anos. O presente estudo teve por objetivo averiguar os motivos que atraem mulheres de diversas faixas etárias a frequentarem grupos de prática de atividade física no Programa Mexa-se Unicamp. Foram avaliadas 78 mulheres (servidoras da Unicamp) que frequentam as atividades do referido programa. Os dados foram plotados no programa Microsoft Office Excel 2010. Verificou-se através dos resultados que os principais motivos que atraem esse grupo a prática de atividade física são: melhora/manutenção do estado de saúde (90%), melhora da qualidade de vida (86%), aumento do bem-estar geral (81%) e a prevenção de doenças (82%). Entretanto, outros fatores como emagrecimento (26%), ocupar o tempo livre (31%), evitar a solidão (28%) e por indicações médicas (27%) também contribuem na adesão de grupos e programas de atividades físicas. Conclui-se neste estudo que as avaliadas estão preocupadas com a sua saúde em geral e outros fatores importantes, os quais contribuem para a adesão e permanência a programas de atividade física de maneira geral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Aparecido Zamai, Universidade Estadual de Campinas

Graduado em Pedagogia - Faculdades ASMEC; Mestrado e doutorado em Educação Física (UNICAMP). Professor Titular da Universidade Paulista, Campinas, Jundiaí, Limeira e Sorocaba (Disc.: Metodologia científica, trabalho de conclusão de curso, tópicos de atuação profissional, educação física no ensino fundamental e médio, estrutura e funcionamento do ensino, didática geral e específica, prática de ensino e estágio supervisionado).

Cláudia Maria Peres, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Fisioterapia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1989). Atualmente é fisioterapeuta da Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP. Curso de Especialização em Acupuntura no Instituto Brasileiro de Estudos Homeopáticos (1998). Curso de Pós-graduação/ MBA Gerência em Saúde Fundação Getulio Vargas (2005). Mestrado pela Faculdade de Educação Física - UNICAMP, na Área de Concentração Atividade Física, Adaptação e Saúde (2008). Doutora em Saúde Coletiva/Epidemiologia - Faculdade de Ciëncias Médicas - UNICAMP (2013). 

Camila Martins de Queiroz, Universidade Estadual de Campinas

Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (FACOM-UFBA). Fez um intercâmbio acadêmico pela UFBA para a Karl-Franzens-Universität Graz, em Graz (Áustria), no período de setembro de 2010 a julho de 2011. Foi bolsista PIBIC/UFBA CNPQ (2009/2010), período em que participou do Grupo de Pesquisa em Cibercidades (GPC), atual Laboratório de Pesquisa em Mídia Digital, Redes e Espaço (Lab404).

Gabriela C. Dos Reis, Universidade Estadual de Campinas

Membro do Programa UniversIDADE na Unicamp.

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

ZAMAI, C. A.; PERES, C. M.; QUEIROZ, C. M. de; REIS, G. C. D. Motivos de adesão à prática de atividade física em mulheres. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 217–217, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8894. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8894. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>