Perfil do atendimento de urgência e emergência pediátrica em um hospital de ensino do interior do estado de São Paulo

Autores

  • Rafael Silva Marconato Universidade Estadual de Campinas
  • Aline Maino Pergola Marconato Universidade Estadual de Campinas
  • Michele Freitas Neves Silva Universidade Estadual de Campinas
  • Valdecir Monteiro Jardim Universidade Estadual de Campinas
  • Milene Thais Marmol Universidade Estadual de Campinas
  • Teresa de Lourdes Silva Universidade Estadual de Campinas
  • Eliana Ortiz de Oliveira Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8630

Palavras-chave:

Enfermagem pediátrica. Perfil de saúde. Enfermagem em emergência

Resumo

Introdução: Conhecer o perfil dos usuários é importante para que equipe esteja preparada para absorver a demanda de ocorrências e atuar com calma e agilidade. Objetivo: Conhecer o perfil dos atendimentos em uma unidade de emergência pediátrica referenciada (UERPed). Método: Estudo descritivo, desenvolvido em uma UERped. Os dados foram coletados do caderno de registros dos enfermeiros, entre 02/2013 e 02/2015. Resultados: Foram atendidas 179 crianças com média de 5 anos de idade, 74,0% (132) foram clínicos, 25,0% (46) traumas e 0,6% (01) sem identificação. O tempo de permanência médio na sala de emergência foi 63 minutos, variando entre 15 minutos e 6:15 horas. Foram encontrados 62 hipóteses diagnósticas: crise convulsiva (14%), insuficiência respiratória aguda (14%), politrauma (9%), traumatismo cranioencefálico (7%), acidentes escorpiônicos (7%), não definidos (4%) e outros (25%). Em relação à demanda, 28 crianças (16%) foram trazidas de casa e 84% foram referenciadas. Discussão: O referenciamento ocorreu na maior parte dos atendimentos desta unidade. Os acidentes escorpiônicos representam uma porcentagem significativa, pois o hospital possui um Centro de Controle de Intoxicações de referência na região. O número de atendimentos à criança politraumatizada é compatível com outras unidades de emergência³. Conclusões: Este estudo permitiu conhecer o perfil dos atendimentos pediátricos. A média de idade das crianças atendidas foi de cinco anos, com maior frequência de casos clínicos, com destaque para as crises convulsivas e insuficiência respiratória aguda. A unidade possui características de referenciamento, como é definida, o que auxilia na expectativa da equipe para o atendimento inicial da criança.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Silva Marconato, Universidade Estadual de Campinas

Aluno regular do Programa de Pós Graduação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), nível doutorado. Mestre em Ciências da Saúde pela Unicamp, na área de concentração Enfermagem e trabalho. Possui Bacharelado e Licenciatura em Enfermagem pela Universidade Estadual de Campinas, formado em 12/2006. Diretor da Unidade de Emergência Referenciada do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas.

Aline Maino Pergola Marconato, Universidade Estadual de Campinas

Pós-Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, sob orientação do Prof Dr Gilson de Vasconcelos Torres (2014-2016). Doutora em Enfermagem, pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Enfermagem da Unicamp (2013), sob orientação da Professora Doutora Maria José DElboux. Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Enfermagem da Universidade Estadual de Campinas (2009), sob orientação da Professora Doutora Izilda Esmenia Muglia Araujo. Bacharel e Licenciada em Enfermagem pela mesma universidade (2006). 

Michele Freitas Neves Silva, Universidade Estadual de Campinas

Possui Graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual de Campinas (2003) e é Mestre em Enfermagem pela Universidade. Atualmente é Supervisora do Serviço de Enfermagem da Unidade de Emergência Referenciada do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas.

 

Valdecir Monteiro Jardim, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em enfermagem - Faculdades Adamantinenses Integradas (2002). Especialista em enfermagem do trabalho.Atualmente é enfermeiro supervisor da unidade de emergência referenciada do HC/Universidade Estadual de Campinas. Também possui licenciatura em enfermagem.

Milene Thais Marmol, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Enfermagem Bacharelado pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP (2011). Atualmente é pós-graduanda do curso de Especialização em Oncologia do Instituto Israelita Albert Einstein e enfermeira da pediatria do Hospital das Clínicas da Unicamp e do Boldrini.

Teresa de Lourdes Silva, Universidade Estadual de Campinas

Colaboradora do Hospital das Clinicas da Unicamp.

Eliana Ortiz de Oliveira, Universidade Estadual de Campinas

Possuo nível Superior em Enfermagem, Especialização em Enfermagem do Trabalho, MBA em Gestão Hospitalar e Docência em Enfermagem. Experiência em urgência e emergência, há 19 anos em Pronto Socorro Adulto e Infantil de Hospital Universitário, Enfermeira Docênte e acompanhamento de Estágio Supervisionado.

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

MARCONATO, R. S.; MARCONATO, A. M. P.; SILVA, M. F. N.; JARDIM, V. M.; MARMOL, M. T.; SILVA, T. de L.; OLIVEIRA, E. O. de. Perfil do atendimento de urgência e emergência pediátrica em um hospital de ensino do interior do estado de São Paulo. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 260–260, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8630. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8630. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)