Banner Portal
Perfil do atendimento de urgência e emergência pediátrica em um hospital de ensino do interior do estado de São Paulo
PDF

Palavras-chave

Enfermagem pediátrica. Perfil de saúde. Enfermagem em emergência

Como Citar

MARCONATO, Rafael Silva; MARCONATO, Aline Maino Pergola; SILVA, Michele Freitas Neves; JARDIM, Valdecir Monteiro; MARMOL, Milene Thais; SILVA, Teresa de Lourdes; OLIVEIRA, Eliana Ortiz de. Perfil do atendimento de urgência e emergência pediátrica em um hospital de ensino do interior do estado de São Paulo. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 260–260, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8630. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Introdução: Conhecer o perfil dos usuários é importante para que equipe esteja preparada para absorver a demanda de ocorrências e atuar com calma e agilidade. Objetivo: Conhecer o perfil dos atendimentos em uma unidade de emergência pediátrica referenciada (UERPed). Método: Estudo descritivo, desenvolvido em uma UERped. Os dados foram coletados do caderno de registros dos enfermeiros, entre 02/2013 e 02/2015. Resultados: Foram atendidas 179 crianças com média de 5 anos de idade, 74,0% (132) foram clínicos, 25,0% (46) traumas e 0,6% (01) sem identificação. O tempo de permanência médio na sala de emergência foi 63 minutos, variando entre 15 minutos e 6:15 horas. Foram encontrados 62 hipóteses diagnósticas: crise convulsiva (14%), insuficiência respiratória aguda (14%), politrauma (9%), traumatismo cranioencefálico (7%), acidentes escorpiônicos (7%), não definidos (4%) e outros (25%). Em relação à demanda, 28 crianças (16%) foram trazidas de casa e 84% foram referenciadas. Discussão: O referenciamento ocorreu na maior parte dos atendimentos desta unidade. Os acidentes escorpiônicos representam uma porcentagem significativa, pois o hospital possui um Centro de Controle de Intoxicações de referência na região. O número de atendimentos à criança politraumatizada é compatível com outras unidades de emergência³. Conclusões: Este estudo permitiu conhecer o perfil dos atendimentos pediátricos. A média de idade das crianças atendidas foi de cinco anos, com maior frequência de casos clínicos, com destaque para as crises convulsivas e insuficiência respiratória aguda. A unidade possui características de referenciamento, como é definida, o que auxilia na expectativa da equipe para o atendimento inicial da criança.

 

PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Rafael Silva Marconato, Aline Maino Pergola Marconato, Michele Freitas Neves Silva, Valdecir Monteiro Jardim, Milene Thais Marmol, Teresa de Lourdes Silva, Eliana Ortiz de Oliveira

Downloads

Não há dados estatísticos.