A importância das ações educativas para profissionais da saúde como estratégia de aprimoramento da vigilância de síndromes respiratórias em hospital terciário. A experiência do núcleo de vigilância epidemiológica (NVE) do hospital de clínicas da UNICAMP

Autores

  • Amanda Tereza Ferreira Universidade Estadual de Campinas
  • Marcia Teixeira Garcia Universidade Estadual de Campinas
  • Mariangela Ribeiro Resende Universidade Estadual de Campinas
  • Rodrigo Nogueira Angerami Universidade Estadual de Campinas
  • Veronica Maria Sinkoc Universidade Estadual de Campinas
  • Gema de Jesus Camargo Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8626

Palavras-chave:

Vigilância. Notificações. Investigação. Material biológico. Síndromes respiratórias.

Resumo

A vigilância de influenza baseada na detecção de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em serviços de saúde é uma das estratégias a serem executadas por todos os hospitais em âmbito nacional, e tem como um dos objetivos avaliar o perfil de morbimortalidade associado aos vírus respiratórios. Dentre as ações realizadas incluem-se a busca ativa diária em unidade de internação, a notificação de casos ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação, a coleta e encaminhamento de amostras biológicas para realização de exames laboratoriais específicos, a investigação de óbitos suspeitos e a orientação acerca de medidas de prevenção e controle da transmissão em ambiente hospitalar, colaborando para uma assistência médica qualificada. Em 2016 verificou-se uma maior circulação do vírus Influenza A H1N1, resultando em significativo impacto sobre serviços de saúde. Assim, visando a qualificação do sistema de vigilância de SRAG, o Nucleo de Vigilância Epidemiológica do HC- UNICAMP adotou um conjunto de intervenções junto aos diversos grupos de profissionais, especialidades médicas e setores do hospital: orientações diárias em enfermarias sobre protocolos de tratamento e investigação laboratorial vigentes, elaboração de informe técnico específico, reunião científica voltada a profissionais da saúde e organização dos insumos destinados à coleta de material biológico a ser examinado (“kit influenza”). Até a Semana Epidemiológica 30 de 2015 foram feitas 108 notificações com 27 (25%) amostras coletadas e 3 (11%) positivas, enquanto que em 2016, neste mesmo período, houve 232 notificações e 156 (67%) amostras coletadas com 27 (17%) positivas, mostrando aumento significativo após as intervenções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Tereza Ferreira, Universidade Estadual de Campinas

Tecnica de enfermagem na Universidade Estadual de Campinas.

Marcia Teixeira Garcia, Universidade Estadual de Campinas

Médica Infectologista no Hospital das Clinicas da Unicamp.

Mariangela Ribeiro Resende, Universidade Estadual de Campinas

Atua como professora Associada, Livre Docente da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas.

Rodrigo Nogueira Angerami, Universidade Estadual de Campinas

Graduado em Medicina (1998) pela Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com Residência em Moléstias Infecciosas (2002) pela FCM / UNICAMP e Doutorado em Clínica Médica (2011) pela FCM / UNICAMP. Professor do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (Epidemiologia das Doenças Infecciosas) da FCM / UNICAMP. 

Veronica Maria Sinkoc, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em enfermagem pela Universidade Estadual de Campinas (1985), especialização em Saúde Pública pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (2002). Atualmente é enfermeira do Núcleo de Vigilância Epidemiológica - Seção de Epidemiologia Hospitalar do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Vigilãncia Epidemiológica e Doenças de Notificação Compulsória, Imunização e Risco Biológico.

Gema de Jesus Camargo, Universidade Estadual de Campinas

Hospital das Clinicas Unicamp.

 

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

FERREIRA, A. T.; GARCIA, M. T.; RESENDE, M. R.; ANGERAMI, R. N.; SINKOC, V. M.; CAMARGO, G. de J. A importância das ações educativas para profissionais da saúde como estratégia de aprimoramento da vigilância de síndromes respiratórias em hospital terciário. A experiência do núcleo de vigilância epidemiológica (NVE) do hospital de clínicas da UNICAMP. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 258–258, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8626. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8626. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)