Caracterização de anticorpos contra antígenos eritrocitários na doença hemolítica perinatal (DHPN)

Autores

  • Josymara Ming Pavani Universidade Estadual de Campinas
  • Maria de Fátima Locateli Universidade Estadual de Campinas
  • Sofia Rocha Lieber Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8625

Palavras-chave:

Doença hemolítica perinatal. Aloimunização materna. Incompatibilidade abo-rh.

Resumo

O presente estudo teve por objetivos: (1) levantar a incidência e caracterizar os aloanticorpos contra antígenos eritrocitários, no soro de 2126 gestantes, atendidas no CAISM, no período de janeiro de 2014 a junho de 2015 e (2) investigar a aderência dos alonticorpos maternos nas hemácias fetais, em 76 amostras de sangue de cordão umbilical. Anticorpos irregulares no soro materno foram investigados pelo método de aglutinação em microcoluna de gel, empregando-se painel de hemácias previamente tipadas (Diamed, USA). Aloanticorpos maternos nas hemácias fetais foram verificados empregando-se colunas de gel com antiglobulina humana policlonal e, após eluição, por glicina ácida ou congelamento e descongelamento, procedeu-se a identificação dos mesmos. Sensibilização eritrocitária foi observada em 130 (6,1%) gestantes, mas apenas 85 (4,0%) portavam anticorpos clinicamente relevantes para a DHPN. Em 91,8% dos casos relevantes, a incompatibilidade no sistema Rh foi a responsável na geração de anticorpos, com destaque para o anticorpo anti-D (81,2%). Anticorpos maternos aderidos aos eritrócitos fetais foram observados em 18 (23,7%) casos. Em 83,3%, eram dirigidos aos antígenos do sistema Rh, exclusivamente, ou associados aos antígenos A ou B. Em 1 (5,6%) caso, houve a identificação do anticorpo anti-Fya, relacionado ao sistema Duffy. Foi possível concluir que, apesar da imunoprofilaxia, a alosensibilização para o antígeno D ainda é relevante em nosso meio. Adicionalmente faz-se necessário, ao longo da gestação, a investigação de anticorpos anti-A e anti-B, da classe IgG, bem como, para outros sistemas como o Duffy, com o propósito de minimizar a ocorrência da DHPN.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josymara Ming Pavani, Universidade Estadual de Campinas

Hemocentro de Hematologia e Hemoterapia; Diretoria de Hemoterapia; HEMLAB: área de hemoterapia laboratorial.

Maria de Fátima Locateli, Universidade Estadual de Campinas

Colaboradora do Hemocentro do Hospital das Clinicas da Unicamp.

Sofia Rocha Lieber, Universidade Estadual de Campinas

Colaboradora do Hemocentro do Hospital das Clinicas da Unicamp.

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

PAVANI, J. M.; LOCATELI, M. de F.; LIEBER, S. R. Caracterização de anticorpos contra antígenos eritrocitários na doença hemolítica perinatal (DHPN). Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 257–257, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8625. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8625. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>