Valor preditivo do antígeno prostático específico (psa) como bio-marcador de exposição ao sêmen humano

Autores

  • Laurione Candido de Oliveira Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i2.8614

Palavras-chave:

Preservativo. Antígeno Prostático Específico (PSA). Imunoensaio

Resumo

A partir do tecido da próstata e do líquido seminal pode-se obter o Antígeno Prostático Específico (PSA), que é uma glicoproteína secretada pela próstata. O PSA desempenha a função de uma serina proteinase, e a sua atividade proteolítica é inibida pela formação irreversível de complexos com inibidores de protease, a alfa-1-antiquimotripsina e alfa-2-macroglobulina, além de outras proteínas da fase aguda. Habitualmente, concentrações elevadas de PSA no soro são indicadores de doenças da próstata, e sua presença no fluido cervicovaginal é impositiva de exposição ao sêmen. Os objetivos do estudo foram: (i) validar a determinação do antígeno prostático específico (PSA) em eluatos preparados de swabs vaginais realizados antes e após relação sexual; (ii) verificar a possível interferência do congelamento e descongelamento dos eluatos na determinação de PSA; (iii) estudar a possível interferência dos materiais utilizados nos condons e swabs na determinação de PSA; (iv) ser um estudo piloto para comparar a eficácia dos condons masculino e feminino na prevenção a exposição ao sêmen durante o uso típido. Os resultados demostraram que o PSA é um eficiente biomarcador para avaliar a eficácia e a freqüência de exposição ao sêmen durante o uso dos preservativos feminino e masculino. Conclui-se que a determinação de PSA em eluatos obtidos de secreção cervicovaginal, coletadas em swabs após relação sexual, é um eficiente método para se avaliar a exposição ao sêmen humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laurione Candido de Oliveira, Universidade Estadual de Campinas

FCM/ UNICAMP

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

OLIVEIRA, L. C. de. Valor preditivo do antígeno prostático específico (psa) como bio-marcador de exposição ao sêmen humano. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 228–228, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i2.8614. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8614. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão