Uso de modelos animais para o estudo da patogenicidade bacteriana

Autores

  • Ana Stela Menegon Degrossoli Universidade Estadual de Campinas
  • Sandra Soares Martins Universidade Estadual de Campinas
  • Tomomasa Yano Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i2.8611

Palavras-chave:

Patogenicidade. Modelo animal. Fator de virulência

Resumo

O estudo da patogenicidade bacteriana exige testes em modelos biológicos para a determinação de seus fatores de virulência. Os testes in vivo são usados quando os experimentos in vitro, por exemplo, cultura de linhagens celulares, não fornecem todas as informações necessárias para estudos conclusivos. Para a detecção de enterotoxinas termoestáveis (ST) faz-se o teste do Camundongo Recém-Nascido, dado o efeito rápido destas toxinas. A pesquisa de enterotoxinas termolábeis é realizada através do teste de Alça Ligada de Intestino de Coelho. O estudo do fator de permeabilidade (PF) e fator necrosante, o material é inoculado no dorso de coelho. A realização destes testes exige o cuidado e manutenção dos animais, a partir da entrega pelo fornecedor comercial ou pelo Centro de Bioterismo (CEMIB) da UNICAMP. A execução das diferentes técnicas implica em planejamento e preparo prévio de materiais e soluções. O trabalho finaliza-se com o registro dos resultados: pela pesagem dos intestinos e carcaça dos animais, no teste do Camundongo Recém-Nascido; pela observação da retenção de líquidos e processamento histológico do íleo de coelho, no teste de Alça Ligada de Intestino; pela obervação de edema e necrose na pele do dorso de coelho, seguido de processamento histológico do tecido epitelial. Além de servir ao nosso laboratório, a execução destes testes também é oferecida na forma de prestação de serviços para outros laboratórios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Stela Menegon Degrossoli, Universidade Estadual de Campinas

IB/ UNICAMP

Sandra Soares Martins, Universidade Estadual de Campinas

IB/ UNICAMP

Tomomasa Yano, Universidade Estadual de Campinas

IB/ UNICAMP

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

DEGROSSOLI, A. S. M.; MARTINS, S. S.; YANO, T. Uso de modelos animais para o estudo da patogenicidade bacteriana. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 227–227, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i2.8611. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8611. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão