Banner Portal
Preservação de géis de poliacrilamida utilizando papel celofane e gelatina
PDF

Palavras-chave

Eletroforese. Ácido Acético. Celofane.

Como Citar

MOTTA, Eliana Maria Pettirossi. Preservação de géis de poliacrilamida utilizando papel celofane e gelatina. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 204–204, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8565. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Análises de rotina que envolvem manuseio de reagentes tóxicos são desgastantes e podem, ao longo do tempo, prejudicar a saúde. Na técnica de eletroforese, que é muito utilizada para determinação de peso molecular de proteínas, são manuseados reagentes potencialmente tóxicos como: acrilamida, bis-acrilamida, 2-mercaptoetanol, TEMED, metanol, ácido acético entre outros. A técnica consiste da produção de géis pela polimerização da acrilamida, sendo que esses géis são corados e descorados em solução contendo metanol e, normalmente, são preservados em solução de ácido acético 10% para análises posteriores de registro de imagem (scanner) e densitometria óptica. Com o objetivo de evitar o manuseio desses géis, foi desenvolvido um procedimento muito simples de preservação utilizando papel celofane e solução de gelatina. Foram testados papéis celofane de várias marcas e verificou-se que apenas papéis celofane livres de plástico permitem a permeação do vapor d’água e a desidratação, conservando e facilitando o manuseio dos géis. Esse procedimento, testado e adotado pelo Laboratório Central de Bioquímica Nutricional do DEPAN-FEA, facilita enormemente o manuseio de géis de poliacrilamida no procedimento de documentação e evita a exposição constante ao ácido acético.
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Eliana Maria Pettirossi Motta

Downloads

Não há dados estatísticos.