Banner Portal
Mamografia por contraste de fase aplicada a amostras in vitro
PDF

Palavras-chave

Mamografia. Radiografia por contraste de fase. Câncer de mama

Como Citar

MARDEGAN, J. R. L.; LEITE, Carlos Alberto Paula; GILES, Carlos Miguel; FREITAS, M. B.; ROCHA, H. S.; PEREIRA, G. R.; MATARAZZO, I. Mamografia por contraste de fase aplicada a amostras in vitro. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 181–181, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8490. Acesso em: 24 jun. 2024.

Resumo

O câncer de mama é uma das doenças nocivas mais comuns entre as mulheres, ficando atrás apenas do câncer de pele em número de incidência no Brasil, mas é o primeiro em número de óbitos no planeta. Pesquisas revelaram que no ano de 2005 foram registrados cerca de 502 mil óbitos devido ao câncer de mama e já para 2020 são previstos mais de 6 milhões de mortes. O rastreamento desta doença é feito principalmente através de exames mamográficos, com o intuito de encontrar a doença em um estágio precoce de desenvolvimento. Como as primeiras alterações celulares que geram este tumor se assemelham muito com o tecido ao redor, torna-se difícil encontrar esses vestígios nas imagens. O trabalho desenvolvido pelo nosso grupo visa explorar o método de Radiografias por Contraste de Fase (RCF) para obter imagens de alta resolução permitindo que as interfaces entre tecidos sadios e patogênicos sejam claramente distinguidas. Esta técnica utiliza um feixe coerente de raios-X obtido através da difração por cristais de silício em um arranjo não dispersivo. Na radiografia convencional (RC) o contraste da imagem é formado pela diferença de atenuação dos tecidos à passagem do feixe de raios-X, enquanto na RCF o contraste é produzido pela interferência de raios refratados ao atravessarem a amostra. Resultados preliminares mostram que, além de gerar imagens de alta resolução o que resultará em diagnóstico mais preciso, a dose para as imagens de RCF são semelhantes à de RC.
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 J. R. L. Mardegan, Carlos Alberto Paula Leite, Carlos Miguel Giles, M. B. Freitas, H. S. Rocha, G. R. Pereira, I. Matarazzo

Downloads

Não há dados estatísticos.