Influência do nível de pré-sensibilização aos antígenos de histocompatibilidade humana na seleção de receptores de rim cadavérico

Autores

  • Sofia Rocha Lieber Universidade Estadual de Campinas
  • E. C. G. Conrradine Universidade Estadual de Campinas
  • M. R. Tabossi Universidade Estadual de Campinas
  • Silvia Barbosa Dutra Marques Universidade Estadual de Campinas
  • A. Souza Universidade Estadual de Campinas
  • E. G. Guariento Universidade Estadual de Campinas
  • A. C. Gonçales Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i2.8474

Palavras-chave:

PRA-ELISA. Prova cruzada. Rim cadavérico.

Resumo

O presente trabalho teve por objetivo avaliar o a influência do grau de sensibilização contra antígenos HLA (%PRA), na prova cruzada contra linfócitos de doador cadáver, em uma população de pacientes em lista de espera de transplante renal. Na análise de 2008 provas cruzadas, foram incluídos 124 doadores e 866 pacientes, dos quais 48,3% foram avaliados frente a um doador; 50,6%; contra dois a nove doadores e 1,1%, contra dez a trinta doadores. A %PRA foi definida pelo método de ELISA (kit One Lambda, USA). As provas cruzadas foram realizadas pelo método de citotoxicidade, potencializado com antigamaglobulina humana. As provas foram consideradas negativas, quando as amostras de soro (tratadas e não tratadas com ditiotreitol) se mostraram não reativas frente aos linfócitos T, obtidos a partir de gânglios linfáticos do doador cadáver. A incidência de prova cruzada negativa foi 92,8% entre pacientes com PRA= 0%; 86,3% com PRA= 1-10%; 81,3%, com PRA= 11-25%; 67,3%, com PRA= 26-50%; 43,1%, com PRA= 51-75% e 15,7%, com PRA= 76-100%. Foram definidas 42 (7,2%) provas cruzadas positivas entre pacientes com PRA= 0% e 4 (6,5%) provas cruzadas negativas entre pacientes com PRA= 100%. Estes achados podem, em parte, ser explicados pela presença de anticorpos do tipo IgM, revelados pelo método de citotoxicidade (19 casos) e pela presença de aloanticorpos não fixadores de complemento detectados pelo método de ELISA ou dirigidos contra classe II, não detectados na prova cruzada contra linfócitos T.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sofia Rocha Lieber, Universidade Estadual de Campinas

HEMOCENTRO/ UNICAMP

E. C. G. Conrradine, Universidade Estadual de Campinas

HEMOCENTRO/ UNICAMP

M. R. Tabossi, Universidade Estadual de Campinas

HEMOCENTRO/ UNICAMP

Silvia Barbosa Dutra Marques, Universidade Estadual de Campinas

HEMOCENTRO/ UNICAMP

A. Souza, Universidade Estadual de Campinas

HEMOCENTRO/ UNICAMP

E. G. Guariento, Universidade Estadual de Campinas

HEMOCENTRO/ UNICAMP

A. C. Gonçales, Universidade Estadual de Campinas

HEMOCENTRO/ UNICAMP

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

LIEBER, S. R.; CONRRADINE, E. C. G.; TABOSSI, M. R.; MARQUES, S. B. D.; SOUZA, A.; GUARIENTO, E. G.; GONÇALES, A. C. Influência do nível de pré-sensibilização aos antígenos de histocompatibilidade humana na seleção de receptores de rim cadavérico. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 175–175, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i2.8474. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8474. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>