Inclusão de telessaúde no gastrocentro - UNICAMP

Autores

  • Ana Diva Giraldi Correa Universidade Estadual de Campinas
  • J. M. R. Zeitune Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i2.8465

Palavras-chave:

Telessaúde. Telemedicina. Ensino à distância

Resumo

Graças aos inegáveis avanços das telecomunicações com novas tecnologias, é possível transmitir procedimentos desde uma sala de cirurgia até um ou mais auditórios simultaneamente de forma que muitas pessoas possam acompanhar os procedimentos com imagens captadas em ângulos privilegiados. O público pode gerar perguntas ao médico na sala de cirurgia e os debates podem ocorrer de qualquer parte do país ou do mundo. A videoconferência trabalha com linhas de comunicação parecidas com as de telefonia, ou via IP, transportando sinal digital codificado. A maior parte do trabalho é instalar o CODEC de videoconferência, fazer os cabeamentos necessários e os trabalhos de conexão. Equipamentos automatizados poder ser muito úteis, câmeras controladas remotamente, trocas de áudio e vídeo que mudam a distribuição de sinal, quando pressionado um painel de controle. Nossa meta é fazer a comunicação mais natural possível e esconder as complexidades do equipamento do usuário final.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Diva Giraldi Correa, Universidade Estadual de Campinas

GASTROCENTRO/ UNICAMP

J. M. R. Zeitune, Universidade Estadual de Campinas

GASTROCENTRO/ UNICAMP

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

CORREA, A. D. G.; ZEITUNE, J. M. R. Inclusão de telessaúde no gastrocentro - UNICAMP. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 173–173, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i2.8465. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8465. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão