Banner Portal
Segurança na prescrição de medicamentos durante o ciclo gravídico-puerperal em unidade de internação obstétrica de alto risco
PDF

Palavras-chave

Erro de prescrição. Segurança do paciente. Gestação. Puerpério. Farmácia clínica.

Como Citar

SILVA, Nice Maria Oliveira; GNATTA, Mariana Rizzo; VISACRI, Marília Berlofa; MAZZOLA, Priscila Gava; PARPINELLI, Mary Ângela; SURITA, Fernanda Garanhani de Castro. Segurança na prescrição de medicamentos durante o ciclo gravídico-puerperal em unidade de internação obstétrica de alto risco. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 241–241, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8452. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

Introdução: Os erros de prescrição são erros de medicação. A prevenção destes erros é um importante instrumento para a segurança das pacientes. Objetivos: Avaliar a frequência, os tipos, a gravidade dos erros de prescrição e a aceitação das intervenções farmacêuticas. Métodos: Estudo transversal, prospectivo e observacional, em unidade de internação obstétrica de alto risco, entre setembro de 2014 e março de 2015. As variáveis foram tipo de erro, significância clínica do erro de prescrição, classe terapêutica, medicamentos potencialmente perigosos envolvidos com erros, impacto e aceitação das intervenções. Resultados: Foram analisadas 1826 prescrições para 549 pacientes e identificados 130 erros (7,0%) de 101 pacientes (18,4%). Os erros mais frequentes foram interações medicamentosas (43,8%), frequência (21,5%), e dose incorreta (13,1%). O maior número de medicamentos em uma única prescrição foi o principal fator de risco relacionado aos erros (p<0.0001). Quanto à significância clínica do erro, 56,9% foram significantes e 43,1% foram sérios. Os medicamentos mais envolvidos nos erros foram metoclopramida e ranitidina. Apenas 0,4% dos erros estavam relacionados com medicamentos potencialmente perigosos. Foram realizadas 168 intervenções e 98,8% foram aceitas pelos prescritores. Os medicamentos envolvidos em erros sérios foram da classe terapêutica aparelho digestivo e metabolismo (p<0,0001), puérperas não lactantes apresentaram mais erros sérios (p<0,0001) devido à interação envolvendo a cabergolina com metoclopramida/bromoprida. Conclusões: Os principais tipos de erros de prescrição foram interações medicamentosas, frequência e dose incorretas. A taxa de aceitação das intervenções foi elevada contribuindo para prevenção de erros e reduzindo riscos da terapia medicamentosa.

PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Nice Maria Oliveira Silva, Mariana Rizzo Gnatta, Marília Berlofa Visacri, Priscila Gava Mazzola, Mary Ângela Parpinelli, Fernanda Garanhani de Castro Surita

Downloads

Não há dados estatísticos.