Aprendendo a transformar plantas medicinais em fitoterápicos seguros

Autores

  • Marili Villa Nova Rodrigues Universidade Estadual de Campinas
  • Adriana da Silva Santos Oliveira Universidade Estadual de Campinas http://orcid.org/0000-0002-7105-6509
  • Jaqueline Oliveira de Paula Lourenço Universidade Estadual de Campinas
  • Benicio Pereira Universidade Estadual de Campinas
  • Rodney Alexandre Ferreira Rodrigues Universidade Estadual de Campinas
  • Glyn Mara Figueira Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8420

Palavras-chave:

Planta medicinal. Fitoterápico. Idoso. Extensão comunitária.

Resumo

Com o passar dos anos, devido ao envelhecimento do organismo é bem comum o aparecimento de diversas patologias, onde o papel do uso de fitoterápicos e plantas medicinais (PM’s) é de grande relevância, principalmente para grande parcela de idosos. Entretanto, sua utilização indiscriminada pode ocasionar danos severos à saúde, sobretudo para grupos mais suscetíveis, como o dos idosos. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi conscientizar um grupo de idosos de Paulínia/SP sobre os riscos associados ao uso indiscriminado e inadequado de PM´s, através de palestras, visitas à laboratórios de pesquisa e aulas práticas de manipulação de fitoterápicos, onde foram produzidas formulações de xaropes, cremes anti-inflamatório, cicatrizante e repelente, além de práticas demonstrativas da obtenção de extratos, tinturas e extração de óleo essencial (OE) e algumas técnicas de controle de qualidade. O grupo aprendeu sobre a complexidade e o desafio do estudo com PM´s, destacando conceitos importantes quanto a aquisição, conservação, extração e controle de qualidade, além de orientações sobre o uso consciente de fitoterápicos e PMs. Aplicações dos OE’s nos ramos farmacêutico, cosmético, domissanitário e alimentício também foram exemplificadas através de aulas práticas. Desta forma, este projeto permitiu a inserção do grupo de idosos no contexto multidisciplinar das plantas medicinais e a troca mútua de conhecimentos e experiências entre os alunos envolvidos e o grupo de idosos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marili Villa Nova Rodrigues, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Farmácia Indústria pela Universidade de São Paulo (1987), mestrado em Tecnologia de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas (1998), doutorado em Química pela Universidade Estadual de Campinas (2004) e pós-doutorado na Universidade Federal de São Carlos, na área de cromatografia de bioafinidade. Atualmente é pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas, com experiência na área de Química Analítica (desenvolvimento analítico). Sua principal linha é em Cromatografia líquida e à gás aplicadas ao estudo de produtos de origem natural.

Adriana da Silva Santos Oliveira, Universidade Estadual de Campinas

Bacharel em Química Tecnológica pela UNICAMP, mestre em Química (IQ/UNICAMP) e aluna de doutorado em Biociências e Tecnologia de Produtos Bioativos (IB/UNICAMP). Atualmente trabalha na Divisão de Química Orgânica e farmacêutica do Centro Pluridisciplinar de Pequisas Químicas, Biológicas e Agrícolas da UNICAMP. Tem experiência na área Química, com ênfase em cromatografia e produtos naturais, atuando principalmente nos seguintes temas: análises cromatográficas, isolamento de princípios ativos de plantas, estudos de óleos essenciais e bioprospecção.

Jaqueline Oliveira de Paula Lourenço, Universidade Estadual de Campinas

Aluna de graduação em Engenharia Quimica.

Benicio Pereira, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Ciencias Biológicas pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1992). Atualmente é biólogo da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Botânica Aplicada, atuando principalmente no seguinte tema: plantas medicinais.

Rodney Alexandre Ferreira Rodrigues, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Farmácia Industrial pela USP (1986), mestrado em Tecnologia de Alimentos pela UNICAMP (1999) e doutorado em Alimentos e Nutrição pela UNICAMP (2004). Atualmente é pesquisador da UNICAMP desde 1989, e tem experiência na área de Farmácia e Química, com ênfase em Química de Produtos Naturais, atuando principalmente nos seguintes temas: Microencapsulação, formulações, farmacotécnica, plantas medicinais, extratos vegetais bioativos, compostos nutracêuticos, isolamento e purificação.

Glyn Mara Figueira, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Engenharia Agronomica pela Universidade de São Paulo (1985), mestrado em Ciências (Fisiologia e bioquímica de plantas) pela Universidade de São Paulo (1995) e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual de Campinas (2000), pós-doutorado no CIRAD (Centro de cooperação internacional em pesquisa agronômica para o desenvolvimento) Montpellier França. Atualmente é engenheira agronoma, pesquisadora da divisão de Agrotecnologia do Centro de pesquisas químicas biológicas e agrícolas (CPQBA) da Universidade Estadual de Campinas.

 

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

RODRIGUES, M. V. N.; OLIVEIRA, A. da S. S.; LOURENÇO, J. O. de P.; PEREIRA, B.; RODRIGUES, R. A. F.; FIGUEIRA, G. M. Aprendendo a transformar plantas medicinais em fitoterápicos seguros. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 219–219, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8420. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8420. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)