Banner Portal
Diagnóstico e monitorização da infecção ativa por citomegalovírus (CMV) em transplantados alogênicos de células progenitoras hematopoéticas (CPH)
PDF

Palavras-chave

Citomegalovírus. Antigenemia. Transplante de medula óssea.

Como Citar

BONO, Sandra Helena Alves; ROSSI, Claudio Lucio; SOUZA, C. A. de; VIGORITO, Afonso Celso; COSTA, Sandra Cecilia Botelho. Diagnóstico e monitorização da infecção ativa por citomegalovírus (CMV) em transplantados alogênicos de células progenitoras hematopoéticas (CPH). Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 151–151, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8372. Acesso em: 19 abr. 2024.

Resumo

Monitorizamos 69 pacientes receptores de transplantes de CPH com as técnicas de Nested-PCR (N-PCR) e antigenemia para CMV. 45 pacientes do Grupo A, que possuíam doenças hematológicas malignas, receberam profilaxia universal com ganciclovir e 24 pacientes do Grupo B, não receberam profilaxia com ganciclovir. Se a vigilância laboratorial era positiva (2 ou mais amostras de N-PCR positivas consecutivas ou 1 ou mais células positivas por antigenemia), terapia precoce com ganciclovir era administrada. Resultados: Grupo A, 36/45 pacientes tiveram infecção ativa pelo HCMV detectada por AGM e/ou N-PCR; Grupo B: 19/24 pacientes tiveram infecção ativa pelo HCMV detectada por AGM e/ou PCR. Doença por HCMV ocorreu em 2/45 pacientes (4,4%) do Grupo A e foram tratados com sucesso. No Grupo B, 4/24 pacientes (16,7%) tiveram doença por HCMV. Um teve coriorretinite, dois tiveram gastrite e um teve pneumonia intersticial. Dois óbitos por HCMV ocorreram neste grupo (50%). Neste trabalho, o uso da profilaxia universal com ganciclovir pareceu retardar o aparecimento da infecção ativa e atrasar a positividade dos testes, mas nenhum impacto favorável foi observado neste grupo de pacientes em relação à infecção ativa pelo HCMV, doença e sobrevida. Nossos resultados sugerem que tanto a antigenemia quanto a N-PCR podem ser utilizadas como marcadores precoces para a introdução da terapia antiviral, ao invés da profilaxia antiviral universal.
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Sandra Helena Alves Bono, Claudio Lucio Rossi, C. A. de Souza, Afonso Celso Vigorito, Sandra Cecilia Botelho Costa

Downloads

Não há dados estatísticos.