Diagnóstico e monitorização da infecção ativa por citomegalovírus (CMV) em transplantados alogênicos de células progenitoras hematopoéticas (CPH)

Autores

  • Sandra Helena Alves Bono Universidade Estadual de Campinas
  • Claudio Lucio Rossi Universidade Estadual de Campinas
  • C. A. de Souza Universidade Estadual de Campinas
  • Afonso Celso Vigorito Universidade Estadual de Campinas
  • Sandra Cecilia Botelho Costa Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i2.8372

Palavras-chave:

Citomegalovírus. Antigenemia. Transplante de medula óssea.

Resumo

Monitorizamos 69 pacientes receptores de transplantes de CPH com as técnicas de Nested-PCR (N-PCR) e antigenemia para CMV. 45 pacientes do Grupo A, que possuíam doenças hematológicas malignas, receberam profilaxia universal com ganciclovir e 24 pacientes do Grupo B, não receberam profilaxia com ganciclovir. Se a vigilância laboratorial era positiva (2 ou mais amostras de N-PCR positivas consecutivas ou 1 ou mais células positivas por antigenemia), terapia precoce com ganciclovir era administrada. Resultados: Grupo A, 36/45 pacientes tiveram infecção ativa pelo HCMV detectada por AGM e/ou N-PCR; Grupo B: 19/24 pacientes tiveram infecção ativa pelo HCMV detectada por AGM e/ou PCR. Doença por HCMV ocorreu em 2/45 pacientes (4,4%) do Grupo A e foram tratados com sucesso. No Grupo B, 4/24 pacientes (16,7%) tiveram doença por HCMV. Um teve coriorretinite, dois tiveram gastrite e um teve pneumonia intersticial. Dois óbitos por HCMV ocorreram neste grupo (50%). Neste trabalho, o uso da profilaxia universal com ganciclovir pareceu retardar o aparecimento da infecção ativa e atrasar a positividade dos testes, mas nenhum impacto favorável foi observado neste grupo de pacientes em relação à infecção ativa pelo HCMV, doença e sobrevida. Nossos resultados sugerem que tanto a antigenemia quanto a N-PCR podem ser utilizadas como marcadores precoces para a introdução da terapia antiviral, ao invés da profilaxia antiviral universal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Helena Alves Bono, Universidade Estadual de Campinas

FCM/ UNICAMP

Claudio Lucio Rossi, Universidade Estadual de Campinas

FCM/ UNICAMP

C. A. de Souza, Universidade Estadual de Campinas

HEMOCENTRO/ UNICAMP

Afonso Celso Vigorito, Universidade Estadual de Campinas

HEMOCENTRO/ UNICAMP

Sandra Cecilia Botelho Costa, Universidade Estadual de Campinas

HEMOCENTRO/ UNICAMP

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

BONO, S. H. A.; ROSSI, C. L.; SOUZA, C. A. de; VIGORITO, A. C.; COSTA, S. C. B. Diagnóstico e monitorização da infecção ativa por citomegalovírus (CMV) em transplantados alogênicos de células progenitoras hematopoéticas (CPH). Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 151–151, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i2.8372. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8372. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão