O preconceito linguístico como barreira à inclusão digital

Autores

  • Octavio Augusto Bueno Fonseca Silva Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8353

Palavras-chave:

Linguistica aplicada. Preconceito linguistico. Redes sociais. Internet. Bullying.

Resumo

A internet, sobretudo no Brasil, tem se expandido rapidamente. Um dos combustíveis para a chegada de novos usuários são os dispositivos portáteis, como smartphones e tablets. Esses dispositivos, além de mais acessíveis que os computadores tradicionais, também contam com internet móvel, que além de barata, chega a qualquer bairro, quebrando as barreiras da infraestrutura, pois ainda hoje não há internet banda larga em muitos bairros de regiões periféricas. Que mudanças, portanto, tem sofrido o ambiente virtual, com a introdução desses novos atores, onde, sabidamente, a maioria deles é de baixa renda e está desembarcando em um território que só era acessível apenas para pessoas de maior classe econômica e social? Veremos neste trabalho de conclusão de curso, defendido no IEL em Dezembro de 2014, que um dos problemas é o preconceito linguístico, que se dá quando uma pessoa é silenciada, agredida ou excluída, porque emitiu um discurso fora da norma padrão do português. Através da análise de interações em sites de compras, vídeos e redes sociais, mostrarei que, ainda que a internet elimine muitas fronteiras de exclusão e distanciamento que existem no mundo real, como bairros, na prática, o discurso permanece como principal forma de exclusão, sendo que o preconceito linguístico é ainda mais evidente nesse meio, pois na ausência de outros elementos para caracterizar a classe social da pessoa, o foco é posto no modo como ela escreve, e, escrevendo fora da norma padrão, essa pessoa é automaticamente excluída, uma vez que o preconceito linguístico é também preconceito social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Octavio Augusto Bueno Fonseca Silva, Universidade Estadual de Campinas

Graduado em Letras pelo IEL/UNICAMP, Mestrando em Divulgação Científica e Cultural no LABJOR/UNICAMP. Tem formação acadêmica voltada para as humanas, em especial para análise do discurso de linha francesa, linguística aplicada e sociologia. Possui experiência profissional na área de TI (hardware, web, software), Comunicação (Youtube) e Multimeios. Interessa-se pelo estudo dos aspectos sociais da internet, inclusão digital e preconceito.

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

SILVA, O. A. B. F. O preconceito linguístico como barreira à inclusão digital. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 152–152, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8353. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8353. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida