Tradução audiovisual: práticas de acessibilidade para cego no curso de graduação de fonoaudiologia da UNICAMP

Autores

  • Diego Henrique de Assis Conceição Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8298

Palavras-chave:

Práticas pedagógicas inclusivas. Tradução audiovisual. Audiodescritor.

Resumo

Os projetos de inclusão no contexto do ensino superior dentro de Universidades Públicas são frutos diretos de politicas educacionais inclusivas, iniciadas na década de 90, as quais obtiveram grande força para seu desenvolvimento a partir da Declaração de Salamanca, de 1994, que inaugura um novo olhar, para a inclusão, auxiliando a todos os estudantes que não se beneficiavam com o processo escolar. Instaurando o desafio de uma real inclusão, o qual para a pessoa cega é transposto, como a necessidade da transformação de tudo que se é visível em palpável e/ou audível, para que este consiga a construção de uma representação imagética, em sua memoria, do que esta sendo posto ao seu redor. Assim, a igualdade de oportunidade dentro da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) é desenvolvida de forma a respeitar as particularidades da pessoa cega, através de práticas pedagógicas inclusivas: como a adaptação de textos escritos em áudios, utilizando-se de sintetizadores de voz, confecção de representações de imagens e figuras em formato 2D, áudio-book e disponibilização do profissional Ledor/Audiodescritor. Serviços estes presentes no curso de graduação de Fonoaudiologia, a partir do ano de 2016, motivados pelo ingresso de um aluno cego, no referido curso. Tais recursos são oferecidas pela Pró - Reitoria de Graduação (PRG) da UNICAMP, através da ampliação dos serviços e atendimentos de sua Central de Tradutores e Interpretes de Língua de Sinais (Central TILS).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Henrique de Assis Conceição, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, especialista em Libras para docência no ensino superior e básico para Interpretação e em prática em interpretação de Libras avançada com ênfase em adaptação de material didático bilíngue. Ministra disciplina de fundamentos da interpretação de Libras pela FAJ e titular de cargo efetivo de Filosofia na Secretaria de educação do Estado de São Paulo. Atualmente é coordenador pedagógico do Ensino Fundamental anos Finais na Secretaria de Educação do Estado de são Paulo e professor e intérprete de Libras. Tem experiência na área de Educação e tradução/Interpretação em Libras.

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

CONCEIÇÃO, D. H. de A. Tradução audiovisual: práticas de acessibilidade para cego no curso de graduação de fonoaudiologia da UNICAMP. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 111–111, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8298. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8298. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão