Análise prospectiva entre a terapia com medicação imunossupressiva e o microquimerismo alogênico após transplante de fígado

Autores

  • Margareth Batistella Araujo Universidade Estadual de Campinas
  • Luis Sergio Leonardi Universidade Estadual de Campinas
  • Ilka de Fátima Santana Ferreira Boin Universidade Estadual de Campinas
  • Luiz Alberto Magna Universidade Estadual de Campinas
  • E. A. Donadi Universidade Estadual de Campinas
  • MAria helena Stangler Kraemer Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i2.8288

Palavras-chave:

Transplante de órgãos. Microquimerismo.

Resumo

Após transplante de órgãos, células hematopoiéticas derivadas do doador podem ser detectadas no sangue periférico, sendo conhecido como microquimerismo. O objetivo deste estudo foi correlacionar prospectivamente à presença de microquimerismo alogênico, a ocorrencia de rejeição celular e o nível do imunosupressor nos pacientes. O microquimerismo foi analisado em 47 pacientes com idade entre 15 e 65 anos, no 10º dia, 3 meses e 12 meses após o transplante de fígado, através do método molecular nested PCR/SSP, para detectar o gene do MHC-HLA-DR especificamente do doador. O microquimerismo foi demonstrado em 32 (68%) dos 47 pacientes; e destes, apenas 10 pacientes (31.2%) apresentaram rejeição. O microquimerismo precoce foi observado em 25 pacientes (78.12%) e o Microquimerismo tardio em 7 pacientes (21.8%). Entre os pacientes com microquimerismo, 14 utilizaram CyA e 18 utilizaram FK506. No grupo sem microquimerismo, 12 pacientes utilizaram CyA e 03 utilizaram FK506. Foi encontada uma associação entre a presença do microquimerismo e a ausência da rejeição (p=0.02) e também entre o microquimerismo e o tipo de imunossupressor usado. Nossos dados indicam que o microquimerismo e provavelmente os leucócitos derivados do doador, podem ter efeitos imunológicos relevantes na indução da tolerância.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Margareth Batistella Araujo, Universidade Estadual de Campinas

FCM/ UNICAMP

Luis Sergio Leonardi, Universidade Estadual de Campinas

FCM/ UNICAMP

Ilka de Fátima Santana Ferreira Boin, Universidade Estadual de Campinas

FCM/ UNICAMP

Luiz Alberto Magna, Universidade Estadual de Campinas

FCM/ UNICAMP

E. A. Donadi, Universidade Estadual de Campinas

FCM/ UNICAMP

MAria helena Stangler Kraemer, Universidade Estadual de Campinas

FCM/ UNICAMP

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

ARAUJO, M. B.; LEONARDI, L. S.; BOIN, I. de F. S. F.; MAGNA, L. A.; DONADI, E. A.; KRAEMER, M. helena S. Análise prospectiva entre a terapia com medicação imunossupressiva e o microquimerismo alogênico após transplante de fígado. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 131–131, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i2.8288. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8288. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)