Mães que entregam seus filhos em adoção: intervenções e desafios do assistente social retratados em um estudo comparativo no CAISM/UNICAMP

Autores

  • Yolanda Maria Braga Freston Universidade Estadual de Campinas
  • Daiana Maximo Universidade Estadual de Campinas
  • Dalva Rossi Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8281

Palavras-chave:

Mulher. Recém-nascido. Adoção.

Resumo

Com a Lei Nacional de Adoção 12.010/09 ocorrem importantes alterações nos atendimentos às gestantes, ofertando atendimento especializado, inclusive àquelas que entregam seus filhos à adoção, a fim de proporcionar uma escolha segura, evitando as adoções à brasileira, os abandonos e ainda, o tráfico infantil. O objetivo deste trabalho foi analisar o perfil socioeconômico e cultural de doze mães que doaram seus filhos entre 2010 e 2014 no CAISM/UNICAMP e compará-los com 58 doações ocorridas em 1986 e 1990 na mesma instituição. A metodologia consistiu em análise documental, realizada nos arquivos do Serviço Social. Os dados obtidos na atual pesquisa revelaram que as mulheres que colocaram seus filhos em adoção elencaram como motivos a violência sexual e ausência de respaldo familiar, já na pesquisa anterior, os principais motivos foram a situação econômica, a falta de apoio familiar e do pai da criança. Em ambos os estudos a faixa etária prevalente das mulheres foi entre 20 a 29 anos. Outros dados observados nas duas pesquisas é que a maioria das mulheres era solteira e sua renda não ultrapassava três salários mínimos. Como no levantamento anterior, a expectativa das mulheres que doaram o filho era de proteção e garantia de um futuro melhor. Os dados sugerem que são necessários mais espaços de debates, incluindo a paternidade responsável e a violência de gênero, a fim de desmistificar e esclarecer os direitos e a realidade da mulher que entrega seu filho em adoção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yolanda Maria Braga Freston, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Serviço Social pela Universidade Federal do Maranhão (1977) e graduação em História pela Universidade Estadual do Ceará (1985). Atualmente é Assistente Social da Hospital da Mulher Professor Doutor José Aristodemo Pinotti. Tem experiência na área de Serviço Social.

Daiana Maximo, Universidade Estadual de Campinas

Bacharel em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2013). Cursando pós graduação em Saúde da Mulher e do Recém Nascido pela Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP, alocada na área de Neonatologia do CAISM/UNICAMP. Experiência na área de Serviço Social atuando principalmente nos seguintes temas: Comunidade, Administração Pública do SUAS e Saúde da Mulher e do Recém Nascido.

Dalva Rossi, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1982), com Especialização em Trabalhos Comunitários e Interdisciplinaridade PUC-Campinas, Especialização em Psicologia e Psiquiatria Clínica da Adolescência -FCM- Unicamp, Especialização em Violência Doméstica Contra Crianças e Adolescentes USP-SP, Mestrado em Programa de Estudos Pós Graduados em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1999) e Doutorado em Tocoginecologia pela Universidade Estadual de Campinas (2004).

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

FRESTON, Y. M. B.; MAXIMO, D.; ROSSI, D. Mães que entregam seus filhos em adoção: intervenções e desafios do assistente social retratados em um estudo comparativo no CAISM/UNICAMP. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 104–104, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8281. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8281. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)