Dificuldades para o cuidado e complicações após alta hospitalar do estomizado intestinal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8271

Resumo

Estomizado, provendo suporte inicial com o fornecimento de conhecimento ao indivíduo e cuidador, visando à capacidade para o autocuidado. Construir um instrumento de avaliação do estomizado intestinal para avaliar os cuidados implementados na manutenção e troca de equipamento. O instrumento foi construído por meio de revisão bibliográfica e validação de conteúdo por juízes, após foi realizada aplicação com levantamento de dados para verificar sua viabilidade. Foram entrevistados 11 sujeitos, com idade média de 60,8 anos. A duração da internação foi de 7,8 dias. O primeiro retorno ambulatorial foi em 5,3 dias. Antes da cirurgia, os sujeitos receberam orientação sobre o que era um estoma. Na internação, todos receberam orientações de como cuidar da pele periestoma, do estoma e sobre a limpeza e troca de bolsa. Após alta hospitalar, em relação aos cuidados, 81,8% realizaram troca do equipamento com grande dependência do cuidador, apenas 36,4% realizavam sozinhos os cuidados. As complicações no estoma e pele periestoma foram identificadas. O instrumento segundo os juízes foi constituído por itens claros, pertinentes e abrangentes, devendo ser submetido à validação de construto. Foram realizadas poucas modificações no instrumento após a coleta de dados, sendo factível a divisão do instrumento, por ser longo. Apesar do número reduzido de sujeitos, o instrumento permitiu a coleta de informações podendo subsidiar um plano de assistência precoce com o foco no processo ensino ao estomizado e cuidador, visando à independência progressiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Su Yan Ling Kiyohara, Universidade Estadual de Campinas

Enfermeira Supervisora no Hospital das Clinicas da Unicamp.

Paula de Moura Piovesana, Universidade Estadual de Campinas

Possui mestrado (2011), licenciatura (2014), graduação (2003), mestrado (2012) e doutorado (2015) em Enfermagem pela Universidade Estadual de Campinas. 

Maura Antonio Dias Corrêa Volpi, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Enfermagem pelo Centro Universitário Herminio Ometto de Araras (1997), e pós-graduação em Estomaterapia pela Universidade Estadual de Campinas -UNICAMP (2009).

Eloysa Marques Fernandes Pivetti, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1980) e Pós Graduação em Estomoterapia pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp(2009). 

Néria Invernizzi Silveira, Universidade Estadual de Campinas

Possui Pós-Graduação em Especialização em Enfermagem em Estomaterapia , pela Escola de Enfermagem da Universidade Estadual de São Paulo - EEUSP em 1992. 

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

KIYOHARA, S. Y. L.; PIOVESANA, P. de M.; VOLPI, M. A. D. C.; PIVETTI, E. M. F.; SILVEIRA, N. I. Dificuldades para o cuidado e complicações após alta hospitalar do estomizado intestinal. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 100–100, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8271. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8271. Acesso em: 1 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão