A opera Baccanali e a retórica do divertimento dentro do divertimento

Autores

  • Cinthia Pinheiro Alireti Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8253

Resumo

A ópera “Baccanali” de Agostino Steffani, escrita em 1695 para a comemoração do Carnaval de Hannover, será apresentada pela primeira vez em contexto moderno no dia 15 de julho deste ano, no Festival della Valle d´Itria, na Itália. Este artigo se trata de uma introdução sobre o contexto em que a obra foi escrita, a relação do tema dramático - os bacanais em homenagem ao deus Bacco - com a linguagem musical de compositor, e aponta os desafios encontrados na produção da edição crítica, realizada para a performance no festival. A metodologia de pesquisa se constituiu de análises dos manuscritos da partitura e libreto como fontes primárias, a leitura de artigos e livros sobre a vida e a obra de Steffani, assim como análises do material disponível sobre suas óperas, e sobretudo de análise comparativa do material de Baccanali e a tese de doutorado escrita e defendida pela autora em 2012. Os resultados do artigo confirmam o uso de diferentes níveis de retórica na composição da ópera e pontuam similaridades na escrita de Baccanali e a sua ópera La lotta d´Ercole, oferecendo, assim, um guia de leitura da linguagem e escrita do compositor para uso em performances historicamente informadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cinthia Pinheiro Alireti, Universidade Estadual de Campinas

Mestre e Doutora em Regência pela Indiana University (Bloomington, EUA, 2013).

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

ALIRETI, C. P. A opera Baccanali e a retórica do divertimento dentro do divertimento. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 94–94, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8253. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8253. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão