A cultura dos jogos dos povos indígenas: celebrando a memória indígena

Autores

  • Vera Regina Toledo Camargo Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i2.8243

Palavras-chave:

Memória. Cultura indígena. Jogos indígenas.

Resumo

“O importante não é ganhar, mas celebrar” Esse é o lema dos jogos indígenas criados nos anos 90 com os irmãos Carlos e Marcos Terena, que utilizaram esse formato para reunir e possibilitar a criação de um espaço de diálogo e reflexão sobre a cultura dos povos indígenas no Brasil. O esporte entra nesse cenário como ferramenta que possibilita entre tantas, o respeito às diferenças e de promoção da diversidade cultural e étnica. A estrutura e formato dos jogos têm por base o caráter de composição da grande família, de modo que todos participam, promovendo a integração entre as diferentes etnias com sua cultua e esportes tradicionais, deste modo, a cultura indígena se faz presente e procura estabelecer uma comunicação com a sociedade não indígena e os jogos e esporte/futebol colaboram com a memória, o conhecimento da cultura indígena e na construção da cidadania indígena. A nossa intervenção, enquanto pesquisadores do processo, foi coletar as informações sobre os jogos e reconstruir com os mesmos os discursos e a importância dos jogos como celebração da cultura indígena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Regina Toledo Camargo, Universidade Estadual de Campinas

LABJOR/UNICAMP

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

CAMARGO, V. R. T. A cultura dos jogos dos povos indígenas: celebrando a memória indígena. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 117–117, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i2.8243. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8243. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)