Banner Portal
A diversidade socioeconômica e os indicadores de saúde materna e perinatal na região metropolitana de Campinas, Brasil
PDF

Como Citar

CHRISTOFORO, Fatima Filomena Mafra; AMARAL, Eliana Martorano; LAVRAS, Carmen Cecília de Campos. A diversidade socioeconômica e os indicadores de saúde materna e perinatal na região metropolitana de Campinas, Brasil. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 87–87, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8233. Acesso em: 19 jul. 2024.

Resumo

Nas últimas décadas, o Brasil vivenciou transformações nos determinantes sociais das doenças e na organização dos serviços de saúde. O país fez progressos nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), atingindo algumas das metas estabelecidas. Contribuíram para este resultado as modificações socioeconômicas e demográficas, externas ao setor de saúde, além de consolidação do Sistema Nacional de Saúde (SUS), expansão da cobertura e a implementação de programas para melhoria da saúde infantil e para a promoção da saúde das mulheres, ampliação da cobertura de vacinação e da assistência pré-natal. Por outro lado, ainda se observam desigualdades socioeconômicas e regionais em saúde, e necessidade de qualificar os recursos humanos.Correlacionar os indicadores socioeconômicas e de saúde materna e perinatal da Região Metropolitana de Campinas (RMC).Estudo ecológico, com informações extraídas do DATASUS, da Fundação SEADE e do censo 2010. Aplicaram-se os coeficientes de correlação de Pearson e de Spearman e mapeamento dos indicadores. RESULTADOS: Maiores porcentagens de mães adolescentes e maior taxa de analfabetismo se correlacionaram diretamente com número de consultas pré-natais, mortalidade perinatal, mortalidade neonatal precoce, prematuridade e baixo peso ao nascer e inversamente com cesáreas. A renda média per capita e o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal se correlacionaram diretamente com cesáreas e inversamente com número de consultas pré-natais e mortalidade perinatal. Apesar do desenvolvimento social da RMC, permanecem desigualdades que impactam os indicadores de saúde materna e perinatal. Os piores resultados foram observados em adolescentes, mulheres com menor escolaridade e renda, enquanto que o poder econômico aumentou a taxa de cesáreas.

PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Fatima Filomena Mafra Christoforo, Eliana Martorano Amaral, Carmen Cecília de Campos Lavras

Downloads

Não há dados estatísticos.