Identificação de argilo-minerais por microscopia eletrônica de varredura

Autores

  • Erica Martini Tonetto Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i6.8218

Resumo

A identificação de argilo-minerais em lâmina delgada costuma ser problemática, pois muitas microestruturas são, por vezes, imperceptíveis nos aumentos disponíveis em microscópio petrográfico. Por microscopia eletrônica de varredura (MEV) a visualização das estruturas também não é de boa qualidade, porém a microanálise por espectrometria de energia dispersiva (EDS) permite a caracterização do material com base na sua composição química. No entanto, a dificuldade que surge nesse aspecto é similaridade composicional entre os minerais do grupo das argilas. Para os trabalhos em MEV optou-se por usar, alternativamente à lâmina, um pequeno bloco de rocha. Com a mudança no tipo de amostra, o tempo de preparação do material para análise ficou bastante reduzido e, adicionalmente, passou-se a observar com mais propriedade detalhes morfológicos e de microestrutura antes invisíveis. Por outro lado, em razão da altura das amostras, as análises de composição química (EDS) ficaram prejudicadas. Apesar disso, o ganho em qualidade de detalhes morfológicos permite a classificação/identificação desses minerais através da morfologia, que para o caso das argilas é diagnóstica e não gera falsas interpretações. Desse modo, a totalidade dos usuários atendidos pelo Laboratório de MEV que necessita identificar argilo-minerais, tem preferido trabalhar com bloco de rocha ao invés de lâmina em virtude de facilidade de identificação morfológica de argilas e a excelente qualidade das imagens geradas para ilustrar seus trabalhos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Erica Martini Tonetto, Universidade Estadual de Campinas

Doutorado em Geociências e Meio Ambiente pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001). 

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

TONETTO, E. M. Identificação de argilo-minerais por microscopia eletrônica de varredura. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 6, p. 83–83, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i6.8218. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8218. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão