Podemos nos reabilitar profissionalmente após licença médica prolongada?

Autores

  • Vera Gonçalves Mendes Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v1i3.8057

Palavras-chave:

Profissional. Afastamento. Retorno. Reintegração. Motivação

Resumo

Ao efetuar o exame de retorno ao trabalho, estive afastada por dois anos do cargo e pude observar o quanto uma situação de retorno ao trabalho após afastamento prolongado fragiliza a essência de um profissional. O Estado da Arte nos processos reabilitatórios exitosos implica no desenvolvimento e execução de um novo paradigma: “Não reabilitar pessoas com a finalidade de fazê-las retornar ao trabalho, mas fazê-las voltar ao trabalho para reabilitá-las”, mais isso não foi uma conquista fácil para mim que fui lotada em cinco departamentos e mesmo sendo reconhecido o meu mérito no Hospital Dia não me sentia completamente realizada profissionalmente e nem as circunstâncias que vivenciei nesses ambientes eram iguais as que eu tinha vivenciado durante a minha trajetória na Unidade de Transplante Hepático, o que me causava uma profunda tristeza gerando afastamentos periódicos do trabalho para tratamentos com médicos psiquiatras, psicólogos, cardiologista, nefrologista, ginecologista, otorrinolaringologista, endocrinologista, alem de me submeter a diversas pericias na previdência social e varias consultas no serviço de medicina do trabalho. A arte de lidar com o outro, a capacidade empática e intuitiva, o respeito pela diversidade e o saber cuidar do trabalhador que adoeceu é tarefa de equipe multiprofissional que deve obedecer a um regime pleno de trabalho com dedicação integral. O ideal seria proporcionar uma dinâmica mais adequada com oficinas de capacitação profissional onde o efeito de integração obtido através de uma nova perspectiva profissional ativa, onde o resultado é a restauração e resignificação das capacidades perdidas pela vivência da doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Gonçalves Mendes, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/HC

Downloads

Publicado

2016-08-16

Como Citar

MENDES, V. G. Podemos nos reabilitar profissionalmente após licença médica prolongada?. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 272–273, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v1i3.8057. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8057. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 5 - Área de Desenvolvimento Humano e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)