O brinquedo e o jogo na educação como fator de transformação social

Autores

  • Paulo Souza Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v1i3.8016

Palavras-chave:

Brinquedo. Jogos. Educação. Transformação social

Resumo

Observo que as crianças e adolescentes estão ‘pulando’ etapas, envelhecendo precocemente, vivendo isoladas na frente de uma televisão ou a tela de um computador. Levados pela mídia, e o mercado em geral a ‘desejar’ sempre os últimos modelos de jogos eletrônicos cada vez mais violentos, em competições em que a personagem do perdedor é humilhada, violentada, quando não, morta. Brincando com brinquedos mecanicos, que brincam sozinhos, e que em nenhum momento teve a participação dessas crianças e adolescentes em sua criação. Resgatar os jogos e brincadeiras que um dia, num passado recente fizeram parte da vida de muitos de nós, e que colaboraram para a formação escolar, é o objetivo desta reflexão que se propõe desenvolver um projeto de pesquisa junto a estudantes, estimulando a sociabilização de crianças e adolescentes e integrar pais, educadores e educandos a partir da ludicidade e o mais importante o conhecimento e a preservação da nossa cultura. Para o desenvolvimento utilizaremos a obra de Huinziga: (HOMU LUDENS, 1988).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Souza, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/FOP/Biblioteca

Downloads

Publicado

2016-08-16

Como Citar

SOUZA, P. O brinquedo e o jogo na educação como fator de transformação social. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 283–284, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v1i3.8016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/8016. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Eixo 5 - Área de Desenvolvimento Humano e Qualidade de Vida