A problematica vivida pelos familiares de pacientes internados na uti adulto e o serviço social inserido neste contexto numa visão acolhedora

Autores

  • A. R. F. Gasparoni Universidade Estadual de Campinas
  • M.E. Fernandes Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v1i3.7922

Palavras-chave:

Acolhimento. Família. Relação dialógica

Resumo

A doença com risco de vida consiste num momento de difícil enfrentamento tanto pelos familiares dos pacientes internados na UTI-Adulto, quanto para o Assistente Social e profissional de saúde que estão diretamente ligados a assistência. Entre diferentes causas das doenças e os diferentes tipos de internações no geral houve um denominador comum presente nas abordagens às famílias: foi a vivenciado medo da perda e a insegurança quanto ao prognóstico. Assim sendo, a assistência possível nessa circunstancia esteve pautada numa relação de escuta e acolhimento, menos centrada numa relação educativa, posto que a experiência da dor os fragiliza e impede de traçarmos um itinerário de assistencial centrado em questões objetivas e de direitos de cidadania, as orientações surgem no decorrer das abordagens

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

A. R. F. Gasparoni, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/Hospital de Clínicas

M.E. Fernandes, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/Hospital de Clínicas

Downloads

Publicado

2016-08-16

Como Citar

GASPARONI, A. R. F.; FERNANDES, M. A problematica vivida pelos familiares de pacientes internados na uti adulto e o serviço social inserido neste contexto numa visão acolhedora. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 304–304, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v1i3.7922. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7922. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 5 - Área de Desenvolvimento Humano e Qualidade de Vida