Banner Portal
Programa multidisciplinar pré-operatório para cirurgia bariátrica no sistema público de saúde: uma nova idéia
PDF

Palavras-chave

Mudança de hábito. Disciplina. Emagrecimento. Saúde

Como Citar

CHAIM, Elinton Adami; GESTIC, Martinho Antonio; LEÃO, Raquel Ward. Programa multidisciplinar pré-operatório para cirurgia bariátrica no sistema público de saúde: uma nova idéia. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 236–237, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7890. Acesso em: 19 jul. 2024.

Resumo

A obesidade é uma doença crônica que envolve fatores sociais, comportamentais, ambientais, culturais, psicológicos, metabólicos e genéticos. Os fatores genéticos desempenham papel importante na determinação da suscetibilidade do individuo para o ganho de peso, porém são os fatores ambientais e de estilo de vida, tais como hábitos alimentares inadequados e sedentarismo, que geralmente levam a um balanço energético positivo, favorecendo o surgimento da obesidade. Os pacientes recebem orientações técnicas e generalistas dos profissionais em relação a todo o processo pré-operatório e pós-operatório da Cirurgia Bariatrica. A população atendida em nosso serviço é 100% SUS. O paciente chega ao serviço publico de saúde (HCUNICAMP) por uma triagem realizada de três a quatro vezes ao ano no ginásio de Esportes da Unicamp, explicando o processo terapêutico utilizado, Interconsultas e Central de Vagas (DIR). Os pacientes são selecionados por Índice de Massa Corpórea (IMC) maior que 40 ou de 30 a 40 com comorbidade associadas. Desde 1998 quando se iniciou o Serviço de Cirurgia de Obesidade neste serviço, até dezembro de 2009, foram operados 838 pacientes. Destes, 416 participaram do programa multidisciplinar pré-operatório. Os pacientes que não participaram do programa a redução média do IMC foi de 8,6 kg/m2(4,5Kg/m2). Os pacientes que participaram do programa obtiveram uma perda média de 32,5% (11,0%) desse índice. A mortalidade deste período (2003- 2009) passou de 4,1% para zero! A morbidade peri-opertória também reduziu drasticamente: hérnias e eventrações de 30,8% para 8,4%, complicações pulmonares de 4,6% para 1,2% e tromboembolismo pulmonar de 1,8% para zero. O obeso operado tinha agora plena percepção da necessidade continua de acompanhamento, de cuidados para se auto-promover uma perda de peso satisfatória e permanente. É possível incrementar a assistência aos obesos severos atendidos e operados em Instituições Públicas, oferecendo melhores resultados terapêuticos e menores taxas de complicações. Dessa maneira, julgamos ser esse projeto um modelo de gestão para outros serviços de cirurgia bariátrica financiados pelo SUS, e que podem ser adaptados às condições de cada Instituição e de cada região. O programa melhora a qualidade de assistência médica, diminui os riscos operatórios, otimiza os resultados do tratamento e é indutor de qualidade de vida ao paciente e àqueles que convivem diretamente com ele.
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Elinton Adami Chaim, Martinho Antonio Gestic, Raquel Ward Leão

Downloads

Não há dados estatísticos.