Banner Portal
Mycoplasma spp em amostras biológicas de animais de laboratório e cultivo celular: detecção por cultivo e reação em cadeia da polimerase (PCR)
PDF

Palavras-chave

Mycoplasma spp. Animais de laboratório. Cultivo celular. PCR

Como Citar

DEMOLIN, D. M. R. Mycoplasma spp em amostras biológicas de animais de laboratório e cultivo celular: detecção por cultivo e reação em cadeia da polimerase (PCR). Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 229–230, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7864. Acesso em: 21 fev. 2024.

Resumo

Mycoplasma pulmonis é um agente infeccioso freqüentemente encontrado em animais de laboratório, coloniza o trato respiratório e genital e ouvido médio, e pode influenciar resultados experimentais. Geralmente, a infecção é subclínica, embora manifestações clínicas são encontradas. Algumas espécies causam infecção uterina e atravessam barreiras placentárias, sendo fundamental a análise das amostras de placenta validando a eficiência da histerectomia na eliminação de contaminações em animais de laboratório. Linhagens celulares também podem estar contaminadas por espécies de Mycoplasma e Acholeplasma. Sua detecção pode ser feita por cultivo, métodos sorológicos e técnicas moleculares. Foram analisadas 24 amostras: pulmão(n=2) e lavado traqueal de ratos(n=18), placentas de camundongos (n=4) e 07 linhagens celulares. As amostras foram cultivadas em caldo e ágar PPLO enriquecido. Para a confirmação de crescimento de Mycoplasma spp realizou-se uma PCR grupo-específico com primers direcionados para regiões conservadas do gene 16S do RNAr da família Mollicutes. Para a determinação da espécie, as amostras positivas, foram testadas com primer espécie-específico que amplifica as espécies de M. pulmonis, M.arthritidis, M.neurolyticum, M.arginini e M.urealyticum. Das amostras testadas, 20(83,33%) foram positivas no cultivo com caldo PPLO e em meio sólido observou-se colônias com morfologia típica de “ovo frito”. As amostras de placenta foram negativas no cultivo e PCR. Observou-se 18 amostras positivas (75%) com primer grupo-específico e 13 (54,16%) para M. pulmonis com primer espécie-específico. Das linhagens celulares, 5(71,42%) foram positivas com primer grupo-específico. A utilização deste primer é uma alternativa na detecção de contaminações por espécies de Mycoplasma em animais de laboratório e culturas celulares.
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Daniele Masselli Rodrigues Demolin

Downloads

Não há dados estatísticos.