Bacteremia por Bartonella Henselae em gatos não domiciliados de Campinas, sp

Autores

  • Sílvio Rogério Cardozo Santos Universidade Estadual de Campinas
  • Marina Rovani Drummond Universidade Estadual de Campinas
  • Rovilson Gilioli Universidade Estadual de Campinas
  • Bruno Grosselli Lania Universidade Estadual de Campinas
  • Paulo Eduardo Neves Ferreira Velho Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v1i3.7824

Palavras-chave:

Bartonella. Gatos. Meio de cultura. Nested-PCR. PCR

Resumo

As bactérias do gênero Bartonella compreendem numerosas espécies e são responsáveis por um grande número de doenças infecciosas emergentes e reemergentes. As taxas de bacteremia e de soroprevalência para a B. henselae são altas em gatos de regiões geográficas quentes e úmidas, 7-43% e 4-81%, respectivamente. Os gatos infectados desenvolvem bacteremia recorrente capaz de durar mais de dois anos. A bactéria pode persistir no sangue de hospedeiros naturais de forma assintomática por longos períodos devido a um parasitismo intra-eritrocitário. Trabalhos realizados recentemente sugerem a existência de pelo menos uma cepa brasileira da B. henselae. Com o objetivo de isolar e depositar em coleção de culturas uma cepa regional iniciouse experimentos a partir de sangue de gatos não-domiciliados de Campinas - SP. A partir deste trabalho será possível desenvolver antígenos nacionais e verificar a soroprevalência em humanos e animais. O experimento foi realizado com 11 amostras provenientes do gatil da Associação dos Amigos dos Animais de Campinas (AAAC). As amostras foram cultivadas em meio Ducrey por 40 dias. Foi extraído DNA das colônias obtidas e do sangue total dos gatos através de kit comercial. Estas amostras foram submetidas à nested PCR espécie-específica. Sete dos onze gatos testados tiveram a nested-PCR positiva (63,6%) e seis (54,5%) tiveram hemocultura positiva. A cepa isolada foi depositada na Coleção de Culturas do Instituto Adolpho Lutz. Pretende-se analisar um maior número de amostras e assim determinar a real prevalência da infecção por B. henselae nos gatos não-domiciliados de Campinas, principal reservatório para a infecção humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sílvio Rogério Cardozo Santos, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/CEMIB e UNICAMP/FCM/Departamento de Clínica Médica

Marina Rovani Drummond, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/CEMIB e UNICAMP/FCM/Departamento de Clínica Médica

Rovilson Gilioli, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/CEMIB e UNICAMP/FCM/Departamento de Clínica Médica

Bruno Grosselli Lania, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/CEMIB e UNICAMP/FCM/Departamento de Clínica Médica

Paulo Eduardo Neves Ferreira Velho, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/CEMIB e UNICAMP/FCM/Departamento de Clínica Médica

Downloads

Publicado

2016-08-16

Como Citar

SANTOS, S. R. C.; DRUMMOND, M. R.; GILIOLI, R.; LANIA, B. G.; VELHO, P. E. N. F. Bacteremia por Bartonella Henselae em gatos não domiciliados de Campinas, sp. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 243–244, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v1i3.7824. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7824. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 4 - Área Médica e Biológicas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>