Banner Portal
Avaliação do nível de ansiedade de pacientes com úlceras venosas
PDF

Palavras-chave

Úlcera venosa. Ansiedade. Feridas

Como Citar

JORGE, Sílvia Angélica; GUIMARÃES, Catarina Pauletti; HENRÍQUEZ, Denise Demattei; DANTAS, Sonia Regina P. E. Avaliação do nível de ansiedade de pacientes com úlceras venosas. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 242–243, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7823. Acesso em: 15 jul. 2024.

Resumo

A insuficiência venosa crônica apresenta significativa morbidade e altera vários aspectos da vida das pessoas acometidas, principalmente sua capacidade produtiva, gerando piora da qualidade de vida e alterações da auto imagem. Procuramos identificar traço e estado de ansiedade nos pacientes com úlcera venosa (UV) em tratamento ambulatorial; caracterizar o paciente com úlcera venosa de acordo com os dados sócio-demográficos e correlacionar o nível de ansiedade traço e estado com a idade e tempo de existência da ferida. Os dados foram coletados através do Questionário para caracterização do paciente com úlcera venosa e o Inventário de Ansiedade Traço - Estado (IDATE). Foram avaliados 40 pacientes, 67,5% do sexo feminino, 85,0% de etnia branca e mediana de idade de 70,00 anos, 35,0% tinham a úlcera de 1 a 5 anos, 30,0% inferior a 1 ano e 25,0% superior a 10 anos e 78% relataram que a úlcera interferia em suas atividades sociais e de lazer. Todos os pacientes apresentaram algum nível de ansiedade, sendo que 74,1% das mulheres e 100% dos homens apresentaram ansiedade-estado elevada e 70,4% das mulheres e 84,6% dos homens apresentaram ansiedadetraço elevada. Observamos níveis de ansiedade-traço e ansiedade-estado moderados nos pacientes com úlceras de 5 a 10 anos, contrastando com o nível de ansiedade elevado com os pacientes com maior tempo de úlcera. Este estudo evidenciou que a ansiedade está presente em diferentes níveis nos pacientes com úlcera venosa e que é elevada diante de situações de estresse, nesta casuística, evidenciado antes da consulta e dos procedimentos relacionados com o curativo. Acreditamos que medidas educativas e de entretenimento, devam ser considerados como elementos para redução da ansiedade em locais de espera ambulatorial.
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Sílvia Angélica Jorge, Catarina Pauletti Guimarães, Denise Demattei Henríquez, Sonia Regina P. E. Dantas

Downloads

Não há dados estatísticos.