Banner Portal
Música, teatro, artes plásticas e dança: improvisação coletiva como ferramenta para a construção de um discurso cênico
PDF

Palavras-chave

Artes da cena. Performance. Improvisação coletiva. Discurso. Formação de artistas

Como Citar

SCHROEDER, Jorge Luiz. Música, teatro, artes plásticas e dança: improvisação coletiva como ferramenta para a construção de um discurso cênico. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 124–124, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7785. Acesso em: 22 jul. 2024.

Resumo

Este trabalho, que vem sendo feito há dois anos com alunos da graduação em música, teatro, artes plásticas e dança do Instituto de Artes da Unicamp, tem como objetivo principal praticar, refletir, discutir e sistematizar, na medida do possível, alguns processos de inter-relação entre as diversas artes performáticas presentes no Instituto. A partir de exercícios práticos de improvisação coletiva, tenta-se explorar as fronteiras de entendimento entre os vários processos artísticos desenvolvidos em cada área em particular, visando a construção de um discurso – que pode ser um espetáculo, peça, cena, performance – híbrido, acabado, onde cada uma das artes envolvidas não precisem se despir de suas recíprocas identidades e que, no entanto, possam convergir para um objetivo artístico/discursivo comum. Visando a prática do diálogo entre linguagens artísticas na formação dos artistas do Instituto, pretende-se investigar as razões que tanto facilitam quanto dificultam esse tipo de integração. Provisoriamente, tem-se dado ênfase a três características presentes nas quatro artes envolvidas: a temporalidade, a corporalidade e a significação. De um lado, todas se organizam no tempo e desenvolveram formas próprias de organizar o tempo; de outro, todas elas trabalham com técnicas corporais específicas, algumas tendo o corpo como suporte artístico, outras tendo o corpo como ferramenta de performance; num terceiro lado, mesmo nos discursos mais radicais das respectivas vanguardas, a questão da significação (termo que pode mudar conforme a área, como coerência, sentido, entendimento, interpretação, dramaturgia, imagética, estrutura etc.) está sempre presente (ou sendo buscada). É nesse vórtice de procedimentos, valores e conhecimentos que caminhamos.
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Jorge Luiz Schroeder

Downloads

Não há dados estatísticos.