Corporação musical campineira dos homens de cor: as notas da resistência

Autores

  • Carlos Roberto Pereira Souza Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v1i3.7769

Palavras-chave:

História oral. Negritude. Memória. Resistência

Resumo

O principal objetivo deste trabalho foi à reconstrução da memória da Corporação Musical Campineira dos Homens de Cor, conhecida como a “Banda dos Homens de Cor”. Fundada em 1933, tendo como mote o ensino musical, serviu como instrumento de estratégia de resistência, na história política e social da população afrodescendente campinense contemporânea. É importante ressaltar que a Corporação Musical é de um dos últimos representantes dos chamados antigos espaços (territórios) da população negra na cidade de Campinas (Vila Marieta, Cambuí e Ponte Preta). Mergulhar na trajetória deste segmento social é reviver este passado recente. Para reconstruir os fragmentos dessa memória, recorri a metodologia de História Oral, abordagem qualitativa que se mostrou mais adequada para esta investigação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Roberto Pereira Souza, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP/CMU–Laboratório de História Oral

Downloads

Publicado

2016-08-16

Como Citar

SOUZA, C. R. P. Corporação musical campineira dos homens de cor: as notas da resistência. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 133–134, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v1i3.7769. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7769. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Área de Ciências Humanas e Artes