Gestão de resíduos químicos em universidades: em foco, o departamento de ciência de alimentos da FEA

Autores

  • Gislaine Ghiselli Universidade Estadual de Campinas
  • Rosemar S. Santos Universidade Estadual de Campinas
  • Silvia Helena P. Vitorino Universidade Estadual de Campinas
  • Adriana Z. Mercadante Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v1i3.7653

Palavras-chave:

Gerenciamento. Resíduo químico. Incineração. Tratamento

Resumo

O Departamento de Ciência de Alimentos – DCA, assim como os demais departamentos da FEA, sempre enfrentaram problemas relacionados ao tratamento e à disposição final dos resíduos gerados em seus laboratórios de ensino e pesquisa. Esses resíduos diferenciam-se daqueles gerados em unidades industriais por apresentarem baixo volume, mas grande diversidade de composições, o que dificulta a tarefa de estabelecer um tratamento químico e/ou uma disposição final padrão para todos. Durante muitos anos esse problema foi relegado a um plano secundário: os resíduos químicos gerados eram estocados de forma inadequada ou ficavam aguardando, por um longo período, um destino final, isso quando não eram descartados na pia do laboratório ou no lixo comum. Com a nova composição da Comissão de Resíduo Químico – CRQDCA, eleita em 2005, iniciou-se uma série de atividades visando três objetivos básicos: a implementação de um programa de gerenciamento de resíduos – PGR, contemplando não apenas os resíduos perigosos (químicos e biológicos), como também os resíduos recicláveis gerados; a conscientização e o treinamento de pessoal, de modo a qualificá-los, fazendo destes agentes de disseminação do PGR; a destinação ambientalmente adequada do passivo acumulado. Nesses cinco anos de trabalho a CRQDCA e toda a comunidade do DCA, incluindo alunos de pós-graduação e graduação, assumiram conscientemente suas responsabilidades para com os resíduos gerados. Desde então, essa importante questão passou a ser encarada coletivamente pela comunidade, possibilitando a constante minimização dos impactos gerados pelas atividades do departamento, garantindo assim melhorias na qualidade de vida para a presente e futuras gerações de trabalhadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gislaine Ghiselli, Universidade Estadual de Campinas

Possui Graduação em Química Tecnológica pela UNESP (1997), Mestrado em Química Analítica pela UNICAMP (2001) e Doutorado em Ciências pela UNICAMP (2006). Atualmente é Analista no Setor de Gestão de Laboratórios da EMBRAPA AGROENERGIA. Possui experiência na área de química analítica, com ênfase em análise química e instrumental, cromatografia líquida (HPLC e UHPLC), cromatografia gasosa (GC/FID, GC-MS), gerenciamento de resíduos químicos e biológicos, segurança em laboratório químico, dentre outros.

Rosemar S. Santos, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP

Silvia Helena P. Vitorino, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP

Adriana Z. Mercadante, Universidade Estadual de Campinas

UNICAMP

Downloads

Publicado

2016-08-16

Como Citar

GHISELLI, G.; SANTOS, R. S.; VITORINO, S. H. P.; MERCADANTE, A. Z. Gestão de resíduos químicos em universidades: em foco, o departamento de ciência de alimentos da FEA. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 1, n. 3, p. 55–56, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v1i3.7653. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7653. Acesso em: 1 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 1 - Administração e Gestão

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.