A faculdade de ciências médicas da UNICAMP: dos fragmentos ao planejamento

Autores

  • José Reinaldo Braga Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i2.7599

Palavras-chave:

Estado. Fragmentação. Planejamento.

Resumo

O trabalho apresenta o desenvolvimento de uma estratégia de construção democrática de planejamento desenvolvido na Faculdade de Ciências Médicas, particularmente nos servidos de almoxarifado, manutenção e compras e que buscou levantar a lógica de atenção das demandas colocadas a estes serviços e as expectativas dos usuários com relação às mesmas e a dinâmica de inter-relação que se estabelece entre estas frações deste aparelho de Estado denominado Universidade. Buscamos demonstrar que – sob o discurso da descentralização e do ganho de eficiência – o aprofundamento do fracionamento das ações do Estado proposta pelo projeto neoliberal leva a uma dispersão de recursos e saberes replicando ações e custos. Além de não permitir que se construa uma visão integrada de conhecimento e da instituição que a produz perdendo o caráter de universalidade. Demonstramos que com perseverança é possível inverter a lógica da fragmentação e ganhar adeptos quando a proposta e apresentada por inteiro e desenvolvida de forma a incorporar demandas especificas, sem, contudo abrir mão dos objetivos estabelecidos e que o método faz bem a todos por que permite ter e democratizar a informação e o futuro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Reinaldo Braga, Universidade Estadual de Campinas

FCM - Faculdade de Ciências Médicas

Downloads

Publicado

2016-09-12

Como Citar

BRAGA, J. R. A faculdade de ciências médicas da UNICAMP: dos fragmentos ao planejamento. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 2, p. 42–42, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i2.7599. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7599. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 1 - Administração e Gestão