Processo de doação de órgaos para transplante o que as pessoas pensam a respeito

Autores

  • Marli Elisa Nascimento Fernandes Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v4i4.7574

Palavras-chave:

Famílias. Doação de órgãos. Transplantes

Resumo

O Serviço Social na área da saúde, é facilitador entre a Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes e a população. O processo de identificação do potencial doador utiliza o protocolo de elegibilidade, onde o parecer social, baseado no histórico de vida do paciente, possibilita a definição de condutas da equipe de captação para se identificar a viabilidade ou não de se oferecer à família a oportunidade de doar os órgãos para procedimento de transplante OBJETIVOS: Testar a eficácia do protocolo que está sendo utilizado para tese de doutorado junto a famílias de doadores que já consentiram a doação. MÉTODO: Trata-se de pesquisa quanti-qualitativa, foram entrevistados nove sujeitos em 2011, identificando o perfil social. Para os dados qualitativos solicitou a opinião dos entrevistados se numa oportunidade seriam favoráveis ou desfavoráveis a doação de órgãos. RESULTADOS: Gênero: 5 masculinos e 4 femininos, faixa etária entre 30 e 40 anos, etnia declarada: branca e negra (65%), casados em união legal, residentes no Estado de SP. A religião informada foi predominante evangélica (90%), a renda familiar foi superior a 5 salários mínimos e com residência própria, o nível de instrução declarado foi do ensino médio. Com relação a informação qualitativa dos entrevistados ser favorável ou não a doação à maioria dos respondentes (100%) disseram que consentiriam na doação de órgãos de seus familiares. CONCLUSÃO: O protocolo aplicado foi acessível e de fácil entendimento as pessoas, e adequado para a realização da pesquisa. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marli Elisa Nascimento Fernandes, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Ciências (2015). Mestre em Saúde da Criança e do Adolescente (2008) ambos pela Faculdade de Ciências Médicas-UNICAMP (2008); Bacharel em Serviço Social pelo Instituto Superior de Ciências Aplicadas ISCA Faculdades (1993), Especialização em Psicologia Analítica Junguiana pela Escola de Extensão - UNICAMP(2000), Coordenadora do Serviço Social da Área de Internação do Hospital de Clínicas da UNICAMP. Presidente na Comissão Setorial de Avaliação Hospital de Clínicas -CSARHC Unicamp (2012). Tem experiência na área de Serviço Social nos seguintes áreas: Supervisão de Estágio, Serviço Social na Saúde: da Criança e Adolescente; Família; Doação de Órgãos para Transplantes; Serviço Social, Formação Profissional, Proteção Social; Gestão por Processos; Coordenação de Projeto de Trabalho Técnico Social - PTTS.

Downloads

Publicado

2016-07-15

Como Citar

FERNANDES, M. E. N. Processo de doação de órgaos para transplante o que as pessoas pensam a respeito. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 4, n. 4, p. 129–129, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v4i4.7574. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7574. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 2 - Projetos Institucionais no Desenvolvimento de Ensino, Pesquisa e Extensão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)