Reações transfusionais imediatas notificadas pelo centro de hematologia e hemoterapia de campinas–sp, nos anos 2009 e 2010

Autores

  • Sofia Rocha Lieber Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v4i4.7453

Palavras-chave:

Notificação. Reações transfusionais imediatas. Hemocomponentes

Resumo

Transfusão de hemocomponentes é um meio eficaz de corrigir temporariamente a deficiência de hemácias, plaquetas ou de fatores de coagulação. O presente trabalho visou identificar as principais reações transfusionais imediatas, notificadas pelo Centro de Hematologia e Hemoterapia de Campinas no período de Janeiro de 2009 a Dezembro de 2010, que acompanhou o total de 63498 procedimentos. Dentre 436 fichas de notificação de reação transfusional, foram incluídas somente 417 cujos dados estavam completos. Para a avaliação da influência do gênero (46% homens) e do tipo de hemocomponente na incidência de reação transfusional, foi utilizado o teste do Qui-quadrado com correção de Yates (P<0,05). Os hemocomponentes que mais provocaram reações transfusionais foram: concentrado de hemácias (79,6%), concentrado de plaquetas (17,5%) e plasma fresco congelado (4,1%). A frequência de reação ao concentrado de hemácias foi maior entre as mulheres (p=0,0029) e a reação ao concentrado de plaquetas foi maior entre os homens (p=0,0238). A reação febril não hemolítica foi o tipo de reação transfusional mais observado (64,0%), seguido da reação alérgica urticariforme (28,3%), reação anafilactóide (5,3%) e sobrecarga volêmica (2,2%). Reação hemolítica aguda foi identificada em apenas um caso, dentre 332 eventos envolvendo concentrados de hemácias, resultante de uma incompatibilidade ABO. O levantamento sugere que, a maioria das reações transfusionais relatadas é devida a fatores relacionados ao próprio paciente. Todavia, a ocorrência de um caso de reação hemolítica aguda, demonstra que o controle de qualidade e o contínuo treinamento das equipes de enfermagem e laboratório devem ser uma constante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sofia Rocha Lieber, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Bacharel em Ciências Biológica Modalidade Médica, pela Universidade de Mogi das Cruzes (1978), mestrado em Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo (1982) e doutorado em Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo (1990). Professora Titular das disciplinas de Microbiologia e Imunologia na Universidade Presbiteriana Mackenzie (1986-2008). Atualmente é biomédico da Universidade Estadual de Campinas, atuando no Laboratório de Histocompatibilidade do Hemocentro de Campinas (1988-presente); é orientadora (2008-presente) e supervisora (2010-presente) do Curso de Aprimoramento em Hemoterapia, da Faculdade de Ciências Médicas; é revisor de periódicos: Cell Transplantation, Human Immunology, Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, Recent Patents on DNA & Gene Sequences, e Journal of Clinical Laboratory Analysis. Tem experiência na área de Imunologia, com ênfase em Alosensibilização e Transplantes, atuando principalmente nos seguintes temas: HLA, transplante renal, transplante de células hematopéticas, citocinas, aborto espontâneo recorrente, infecções e resistências microbiológicas e hemoglobinopatias

Downloads

Publicado

2016-07-15

Como Citar

LIEBER, S. R. Reações transfusionais imediatas notificadas pelo centro de hematologia e hemoterapia de campinas–sp, nos anos 2009 e 2010. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 4, n. 4, p. 270–270, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v4i4.7453. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7453. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>