Principais causas de inaptidão clínica dos doadores de sangue do hemocentro de campinas

Autores

  • Sofia Rocha Lieber Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v4i4.7441

Palavras-chave:

Doador de sangue. Triagem clínica. Inaptidão

Resumo

A triagem do doador de sangue envolve a avaliação da sua história clínica, hematológica e epidemiológica bem como, seus hábitos e comportamentos. Tem por objetivo identificar situações de risco para o doador e evitar a transmissão de doenças pelo sangue, não reveladas por testes sorológicos, devido à janela imunológica. O presente estudo teve por objetivo levantar as principais causas de exclusão do candidato à doação de sangue no Hemocentro de Campinas no ano de 2011, definidas na triagem pré-doação. O levantamento foi realizado pela análise dos registrados referentes aos potenciais doadores. Foram incluídas informações sobre sexo, idade, frequência e intervalo de doações anteriores, níveis hematimétricos, pulso, pressão arterial, temperatura, doenças preexistentes, uso de medicamentos, gravidez, estado civil e comportamento ou exposição a fatores de risco para doenças sexualmente transmissíveis. No período foram avaliados 87773 potenciais doadores (60% homens), com idade variando de 18 a 67 anos. Do total, 51% se declaram como casados. Em relação ao tipo de doador, o mais frequênte foi o espontâneo (51%) e o menos frequênte foi o convocado (3%). Foram considerados inaptos para a doação 24042 (24%) dos candidatos. A principal causa de inaptidão foi comportamento sexual de risco (17%), seguido do uso de medicamentos (9%) e índice hematimétricos baixo (6%). O levantamento permitiu concluir que o comportamento sexual de risco é a principal causa da exclusão do doador na fase pré-doação. Embora este critério tenha um caráter discriminador, ele se justifica como medida de proteção na terapia transfusional. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sofia Rocha Lieber, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Bacharel em Ciências Biológica Modalidade Médica, pela Universidade de Mogi das Cruzes (1978), mestrado em Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo (1982) e doutorado em Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo (1990). Professora Titular das disciplinas de Microbiologia e Imunologia na Universidade Presbiteriana Mackenzie (1986-2008). Atualmente é biomédico da Universidade Estadual de Campinas, atuando no Laboratório de Histocompatibilidade do Hemocentro de Campinas (1988-presente); é orientadora (2008-presente) e supervisora (2010-presente) do Curso de Aprimoramento em Hemoterapia, da Faculdade de Ciências Médicas; é revisor de periódicos: Cell Transplantation, Human Immunology, Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, Recent Patents on DNA & Gene Sequences, e Journal of Clinical Laboratory Analysis. Tem experiência na área de Imunologia, com ênfase em Alosensibilização e Transplantes, atuando principalmente nos seguintes temas: HLA, transplante renal, transplante de células hematopéticas, citocinas, aborto espontâneo recorrente, infecções e resistências microbiológicas e hemoglobinopatias.

Downloads

Publicado

2016-07-15

Como Citar

LIEBER, S. R. Principais causas de inaptidão clínica dos doadores de sangue do hemocentro de campinas. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 4, n. 4, p. 258–258, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v4i4.7441. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7441. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>