Descarte de bolsas de doadores de sangue por inaptidão sorológica no hemocentro de campinas, durante o ano de 2011

Autores

  • Sofia Rocha Lieber Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v4i4.7382

Palavras-chave:

Doador de sangue. Inaptidão. Marcadores sorológicos

Resumo

O Ministério da Saúde determina a obrigatoriedade da realização de exames laboratoriais de alta sensibilidade em todas as doações, para identificação das doenças transmissíveis pelo sangue. Todavia, resultados duvidosos ou falso-positivos podem ocorrer e resultar no descarte da bolsa de sangue. O presente trabalho teve por objetivo determinar o índice de bloqueio de bolsas de doadores de sangue coletadas durante o ano de 2011, de acordo com os diferentes marcadores sorológicos investigados na rotina de triagem. De um total de 63731 coletas, foram analisados os relatórios de 1044 doadores (63% homens), cuja bolsa de sangue foi bloqueada na triagem sorológica, devida a reatividade contra pelo menos um dentre 10 marcadores sorológicos, representando um índice de inaptidão de 1,6%. A faixa etária desses doadores variou de 17 a 69 anos e 74% compareceram ao banco de sangue pela primeira vez. No grupo de doadores considerados inaptos, o marcador sorológico mais frequente foi anti-HBc (47,2%), seguido do EIA-Sífilis (34,8%), HCVAg/Ac (8,7%), anti-HTLVI/II (7,4%), HBSAg (3,2%), EIA-Chagas (2,6%), anti-HIV1.2.0 (1,5%), Ag/Ac HIV2 (1,4%), NAT-HCV(1,1%) e NAT-HIV (0,7%). Doadores com sorologia reagente podem ser portadores de doenças assintomáticas ou em fase de janela imunológica, o que dificulta sua exclusão na triagem clínica. Devido à alta sensibilidade e a margem de segurança para interpretação de positividade dos testes empregados em banco de sangue, é possível a ocorrência de resultados falso-positivos. Assim sendo, há a necessidade de testes confirmatórios adicionais para concluir ou esclarecer o diagnóstico laboratorial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sofia Rocha Lieber, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Bacharel em Ciências Biológica Modalidade Médica, pela Universidade de Mogi das Cruzes (1978), mestrado em Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo (1982) e doutorado em Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal de São Paulo (1990). Professora Titular das disciplinas de Microbiologia e Imunologia na Universidade Presbiteriana Mackenzie (1986-2008). Atualmente é biomédico da Universidade Estadual de Campinas, atuando no Laboratório de Histocompatibilidade do Hemocentro de Campinas (1988-presente); é orientadora (2008-presente) e supervisora (2010-presente) do Curso de Aprimoramento em Hemoterapia, da Faculdade de Ciências Médicas; é revisor de periódicos: Cell Transplantation, Human Immunology, Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, Recent Patents on DNA & Gene Sequences, e Journal of Clinical Laboratory Analysis. Tem experiência na área de Imunologia, com ênfase em Alosensibilização e Transplantes, atuando principalmente nos seguintes temas: HLA, transplante renal, transplante de células hematopéticas, citocinas, aborto espontâneo recorrente, infecções e resistências microbiológicas e hemoglobinopatias

Downloads

Publicado

2016-07-15

Como Citar

LIEBER, S. R. Descarte de bolsas de doadores de sangue por inaptidão sorológica no hemocentro de campinas, durante o ano de 2011. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 4, n. 4, p. 199–199, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v4i4.7382. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7382. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>