Banner Portal
Conhecimento e ação: fatores determinantes na assistência de enfermagem no IAM
PDF

Palavras-chave

Assistência de enfermagem. Infarto miocárdio. Protocolo enfermagem

Como Citar

VASCONCELLOS, Karen Lopes. Conhecimento e ação: fatores determinantes na assistência de enfermagem no IAM. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 4, n. 4, p. 193–193, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7376. Acesso em: 25 maio. 2024.

Resumo

A dor torácica em uma unidade de emergência pode representar um grande desafio a toda equipe; pois compreende a uma variedade de possibilidades, algumas podendo ser fatais se não diagnosticadas em tempo hábil para se intervir. Este trabalho buscou investigar quais os fatores no atendimento à vitimas de Infarto Agudo do Miocárdio, que podem determinar uma maior sobrevida. Tendo em vista o grande número de ocorrências que em muitos casos não são diagnosticados em tempo hábil para o atendimento adequado, comprometendo o desenvolver da terapêutica. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa de campo sendo utilizado a metodologia quantitativa exploratória que, possibilitou o levantamento de dados por meio de questionários direcionados a população específica, as áreas de coleta de dados foram compostas de três Unidades de Pronto Socorro municipais do Sistema Único de Saúde; sendo analisados os equipamentos disponíveis nas unidades e o tipo de atendimento prestado a pacientes com hipótese de diagnóstico de Infarto Agudo do Miocárdio. Resultados: Todas as instituições possuem equipamentos, medicamentos e profissionais necessários. Não existe um protocolo de atendimento sistematizado. Conclusão: Concluiu-se que apesar de se ter estrutura, equipamento e medicamentos necessários, nenhuma instituição tem um protocolo de atendimento instituído, mesmo aqueles que disseram ter, através de suas respostas ficou claro que desconhece o que é um protocolo. Observou-se que os técnicos de enfermagem não souberam definir corretamente a patologia, mas, definiram muito bem os sinais e sintomas, porém não identificaram os cuidados específicos desta ocorrência, estes não reconhecem o enfermeiro como fator determinante no atendimento.
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Karen Lopes Vasconcellos

Downloads

Não há dados estatísticos.