Banner Portal
Análise da autoadministração de insulina por usuários vinculados às estratégias de saúde da família
PDF

Palavras-chave

Diabetes. Insulina. Educação. Saúde. Família

Como Citar

RAMOS, M. P. N. Análise da autoadministração de insulina por usuários vinculados às estratégias de saúde da família. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 4, n. 4, p. 169–169, 2016. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7352. Acesso em: 1 dez. 2023.

Resumo

Práticas inadequadas e inseguras na autoadministração de insulina podem interferir no controle metabólico e influenciar a progressão das complicações do diabetes, sendo fundamental a educação em saúde. O objetivo foi avaliar a autoadministração de insulina no domicílio, por usuários diabéticos, antes e após educação em saúde. Estudo descritivo e exploratório realizado no município de Descalvado-SP, no período de 2009 a 2010. A população foi composta por 64 usuários que utilizavam insulina exógena no domicílio, e a amostra, por 19 usuários pertencentes às Estratégias de Saúde da Família (ESFs). A pesquisa ocorreu em três fases: 1° - Acompanhado o preparo e a autoadministração de insulina no domicílio, mediante roteiros de observação, do tipo check list, elaborados com base na literatura e nas diretrizes da Associação Brasileira de Diabetes. 2° - Realizada educação em saúde sobre manipulação dos materiais, preparo e autoadministração de insulina, mediante folder explicativo cedido pelo Centro Becton Dickinson de educação em diabetes. 3° - Acompanhado o preparo e a autoadministração de insulina, após educação em saúde, por meio dos instrumentos utilizados na 1° fase. Todos os usuários demonstraram conhecimento sobre o procedimento após educação em saúde; 94,7% souberam diferenciar a seringa e demonstraram conhecimento sobre o material utilizado e sobre a necessidade da insulina. Ainda, 47,4% passaram a higienizar as mãos antes do procedimento e 42,1% conferiram as unidades antes da autoadministração de insulina. As informações, quando transmitidas de maneira sistematizada, podem favorecer a qualidade de vida e minimizar os riscos associados ao procedimento. 
PDF
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2016 Maristela Priscila Nardo Ramos

Downloads

Não há dados estatísticos.