Indicador de qualidade de caixa cirúrgica: gestão do enfermeiro? Relato de experiência

Autores

  • Edna Maria da Silva Beck Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v4i4.7282

Palavras-chave:

Gestão. Papel do enfermeiro. Indicador de qualidade em assistência à saúde. Comunicação

Resumo

A Central de Material e Esterilização (CME) vem passando por modificações estruturais, metodologias de trabalho, enfermeiros mais atualizados e qualificados. O enfermeiro de CME é fundamental para o gerenciamento do processo de trabalho, sendo importante planejar de maneira eficiente e capaz de interagir com as unidades consumidoras. Partindo do poder de decisão que o enfermeiro do HES conquistou frente ao planejamento para uma assistência segura, os enfermeiros da CME criaram um documento para avaliar intercorrências com as caixas cirúrgicas em relação à qualidade dos instrumentais. Chamado de Indicador de Avaliação de Caixa Cirúrgica com a finalidade de melhorar a comunicação entre os blocos cirúrgicos e conseqüentemente a qualidade do instrumental. Análise das críticas realizadas pelas equipes médicas quanto à qualidade dos instrumentais utilizados em sala operatória e que eram colocadas nas reuniões e que não chegavam aos enfermeiros da CME. Diante da dificuldade em manter um diálogo com as equipes, resolveu-se elaborar um documento disponibilizá-lo em salas operatórias facilitando a notificação da ocorrência encontrada no instrumental. Os dados passaram a ser consolidados mensalmente. Obteve-se um índice de 80% de resolução imediata e 20% de fichas aguardando substituição do material. Este documento já está em vigor há dois anos. Percebeu-se a importância na melhoria das relações comunicativas e consequentemente a melhoria dos instrumentais utilizados. A experiência apresentada neste relato trouxe maior resolução dos problemas encontrados nas caixas cirúrgicas servindo de subsídios para uma prática mais segura. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edna Maria da Silva Beck, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Hermínio Ometto - Uniararas com Licenciatura Plena (2001). Atualmente é Enfermeira do Hospital Estadual Sumaré na Supervisão da Central de Material e Esterilização. Tem experiência na área de Enfermagem Assistencial (hematologia, Vascular, Patologias Oncológicas em pediatria, Clínica Médica) e como Enfermeira de Estágio Supervisionado pela Faculdade Anhanguera Educacional - FAC III.

Downloads

Publicado

2016-07-15

Como Citar

BECK, E. M. da S. Indicador de qualidade de caixa cirúrgica: gestão do enfermeiro? Relato de experiência. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, v. 4, n. 4, p. 44–44, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v4i4.7282. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7282. Acesso em: 25 set. 2022.