O uso da poli-hexa-metileno-biguanida (PHMB) no tratamento de ferida infectada em paciente com hipotireoidismo

Autores

  • Su Yan Ling Universidade Estadual de Campinas
  • Aline Zanco Fagan Universidade Estadual de Campinas
  • Kelly Cristina Oliveira Manzoli Figueiredo Universidade Estadual de Campinas
  • Luzinete Alves Araújo Universidade Estadual de Campinas
  • Silvia Cristina Faez Universidade Estadual de Campinas
  • Vanessa Abreu Silva Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i5.7235

Palavras-chave:

Cicatrização. Hipotireoidismo. Enfermagem

Resumo

O hipotireoidismo é uma alteração endócrina,  sistêmica, caracterizada pela disfunção da glândula tireóide que resulta na alteração da produção de hormônios tireoidianos. Os sinais e sintomas característicos da doença destacam-se o ganho de peso, hipotensão, pele fria, grossa e áspera. Estas alterações aumentam a suscetibilidade da pele a lesões e infecção. O objetivo foi relatar um caso clínico do uso do PHMB no tratamento de lesão em paciente com hipotireoidismo. Trata-se de um estudo descritivo, relato de caso por meio das intervenções de enfermeiros especialistas e registros fotográficos. Caso Clínico: T.G.B., 46 anos, apresenta como antecedentes hipotireoidismo e tabagismo. Procurou atendimento, com lesão em antebraço, relatando ter sido picada por algum animal peçonhento, informou também que furou as bolhas com espinho de limão e utilizou anti-séptico bucal no local. Ambas lesões apresentavam necrose em delimitação, com edema de todo o membro, calor e hiperemia local. Foi iniciada terapia tópica com solução de PHMB 0,2% para limpeza, gel de PHMB com rayon para cobertura e creme de PHMB em pele ao redor, com troca diariamente. Dias depois com a delimitação da necrose iniciou-se o desbridamento instrumental conservador e a terapia tópica foi mantida. Após 20 dias, a paciente teve alta hospitalar e continuou o acompanhamento ambulatorial com troca de terapia tópica a três vezes por semana. Após 75 dias, a paciente apresenta epitelização completa das lesões. O PHMB otimizou o preparo do leito da ferida, a redução da carga bacteriana o que...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Su Yan Ling, Universidade Estadual de Campinas

Mestra pela Faculdade de Enfermagem (UNICAMP) na área de pesquisa Saúde do Trabalhador. Graduação e licenciatura em Enfermagem pela Universidade Estadual de Campinas (2003) , pós-graduação em Estomaterapia pela Universidade Estadual de Campinas (2009) e pós-graduação em Enfermagem do Trabalho pelo Centro Universitário São Camilo ( 2012). Enfermeira contratada do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase na assistência aos pacientes com doenças gastrointestinais (clínica/cirúrgica), incluindo os pacientes estomizados. Atualmente, é enfermeira supervisora da unidade de internação de pacientes clínicos e cirúrgicos. Membro da Equipe Multiprofissional de Prevenção e Tratamento de Feridas ( EMPTF) , do grupo Núcleo de Avaliação em Saúde ( NATS) do HC -UNICAMP e da Rede Brasileira de Enfermagem e Segurança do Paciente ( REBRAENSP).

Downloads

Publicado

2016-05-17

Como Citar

LING, S. Y.; FAGAN, A. Z.; FIGUEIREDO, K. C. O. M.; ARAÚJO, L. A.; FAEZ, S. C.; SILVA, V. A. O uso da poli-hexa-metileno-biguanida (PHMB) no tratamento de ferida infectada em paciente com hipotireoidismo. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 5, p. 246–246, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i5.7235. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7235. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)