O psicólogo na UTI neonatal e na semi-neonatologia do CAISM/UNICAMP: relato de experiência a partir do programa de aprimoramento (PAP) na saúde reprodutiva da mulher

Autores

  • Paula Crivelenti Castro Universidade Estadual de Campinas
  • Laise Poterio Santos Universidade Estadual de Campinas
  • Mariana Gonçales Gerzeli Santos Universidade Estadual de Campinas
  • Nathalia Correa Soares Universidade Estadual de Campinas
  • Roberta Espote Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i5.7207

Palavras-chave:

Psicologia. Neonatologia. Recém-nascido. Atendimento de pais

Resumo

A Psicologia Materno Infantil compreende duas áreas: obstétrica e neonatal, onde há a participação de psicólogas contratadas e de aprimorandas do PAP em Psicologia Clínica na Saúde Reprodutiva da Mulher. O psicólogo nas unidades de internação neonatal participa das visitas médicas e do Banco de Leite Humano, realiza discussões de caso, oferece atendimento psicológico individual e grupal aos pais do recém-nascido (RN). A assistência individual inclui: a primeira visita ao bebê e à unidade, o acompanhamento durante todo o processo de internação do RN até a preparação para alta hospitalar e nos casos de óbito neonatal, em que o Psicólogo acompanha os pais na despedida do bebê e no luto. No contexto de hospitalização neonatal é percebido a valorização do trabalho do Psicólogo tanto pela equipe da Neonatologia, quanto pelos pais; pois é um nascimento marcado por um grande impacto: o bebê nasce, mas ainda não está pronto e há uma rigorosa rotina hospitalar à qual terão que se adaptar. Uma hospitalização que tende a dificultar a aproximação dos pais com o bebê, a identificação deles com o mesmo, que gera grande labilidade emocional. O Psicólogo possibilita aos pais um espaço para a expressão e para o reconhecimento de sentimentos, preocupações e dificuldades despertadas pela hospitalização do bebê; tornando possível o favorecimento da aproximação ao RN, a adaptação a essa rotina e diminuição de sofrimentos. Assim, o PAP possibilita a vivência nas rotinas da unidade, a prática do Psicólogo hospitalar, a reflexão contínua e  supervisionada, cumprindo o objetivo do programa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laise Poterio Santos, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1985) e mestrado em Tocoginecologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (2003). É psicóloga do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM) da Universidade Estadual de Campinas, aonde atualmente é Supervisora da Seção de Psicologia.

Downloads

Publicado

2016-05-17

Como Citar

CASTRO, P. C.; SANTOS, L. P.; SANTOS, M. G. G.; SOARES, N. C.; ESPOTE, R. O psicólogo na UTI neonatal e na semi-neonatologia do CAISM/UNICAMP: relato de experiência a partir do programa de aprimoramento (PAP) na saúde reprodutiva da mulher. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 5, p. 219–219, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i5.7207. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7207. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>