Infância, agravos à saúde e vulnerabilidade social: o lugar da rede de proteção social e da saúde

Autores

  • Marielle Cristina Ribeiro Carvalho Universidade Estadual de Campinas
  • Edna Maria Goulart Joazeiro Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i5.7206

Palavras-chave:

Infância. Agravos à saúde. Vulnerabilidade social. Hospital de ensino.

Resumo

A pesquisa teve como objeto conhecer a condição social de famílias de crianças atendidas no Ambulatório de Pediatria do Hospital de Clínicas da UNICAMP, com diferentes tipos de agravos à saúde associados à situação de vulnerabilidade social decorrente da situação de pobreza, ausência de renda e fragilização dos vínculos afetivos. Privilegiou-se analisar o suporte protetivo da rede de sociabilidade primária e secundária e a inserção da criança no processo de cuidado especializado em Hospital de Ensino Público. A pesquisa quantitativa e qualitativa foi realizada com trinta genitores ou responsáveis legais que acompanharam seus filhos nas consultas no Ambulatório de Pediatria em  um período de três meses, que demandaram intervenção do Serviço Social para viabilizar o suporte protetivo assistencial para o cuidado em saúde. Para acesso ao conhecimento da dinâmica familiar e do cuidado em saúde, seus depoimentos e o questionário semiestruturado se constituíram em fonte empírica primária, e a análise dos prontuários médico e do Serviço Social como fonte secundária. Apreendeu-se que, não raras vezes, a sociabilidade primária é insuficiente, especialmente quando em presença de agravos  à saúde que se dá num contexto em que a família encontra-se em situação de vulnerabilidade social. Neste contexto, constatou-se a importância de ações da rede de sociabilidade secundária no sentido de mobilizar o acesso a recursos da Rede de Saúde e à Rede Socioassistencial do território de moradia do usuário e família.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marielle Cristina Ribeiro Carvalho, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Serviço Social pelo Centro Universitário do Sul de Minas (2011), título de especialista em Famílias e Políticas Públicas pelo Centro Universitário da Fundação Educacional Guaxupé (2014) e em Pediatria e Serviço Social pela Universidade Estadual de Campinas (2014). Cursou as disciplinas "Tópicos de Ciências Sociais, Medicina, Saúde e Sociedade: Análise Institucional; Teoria e Prática em Saúde Coletiva" (2014),"Tópicos de Pesquisa em Saúde Coletiva" (2015) e "Tópicos de Epidemiologia" (2015) como aluna especial referente ao mestrado Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP. Assistente Social na Universidade Estadual de Campinas, vinculada ao Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti (Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher - CAISM).

Edna Maria Goulart Joazeiro, Universidade Estadual de Campinas

Pós doutorado em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2012), possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1989), graduação em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1982), Mestrado em Educação (2002), Doutorado em Educação (2008) ambos pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Tem especialização em Psicoterapias Institucionais pelo Instituto de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Saúde Pública, Formação em Grupanálise pela SPAG CAMP. 

Downloads

Publicado

2016-05-17

Como Citar

CARVALHO, M. C. R.; JOAZEIRO, E. M. G. Infância, agravos à saúde e vulnerabilidade social: o lugar da rede de proteção social e da saúde. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 5, p. 218–218, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i5.7206. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7206. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)