Implantação de busca ativa no serviço de saúde mental

Autores

  • Maria de Fatima Guadagnini CECOM-CSS-Reitoria/UNICAMP
  • Carlos Eduardo Paula Leite CECOM-CSS-Reitoria/UNICAMP
  • Ildelene Berezovsky CECOM-CSS-Reitoria/UNICAMP
  • Lucas Francisco Botequio Mella CECOM-CSS-Reitoria/UNICAMP
  • Maria Elenice Q. Areias CECOM-CSS-Reitoria/UNICAMP
  • Nilton Manoel Domingos Júnior CECOM-CSS-Reitoria/UNICAMP
  • Patrícia Asfora Falabella Leme CECOM-CSS-Reitoria/UNICAMP
  • Rosely Cai Albertin CECOM-CSS-Reitoria/UNICAMP
  • Valquiria de Fatima Pisauro Lima Magrini CECOM-CSS-Reitoria/UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.20396/sinteses.v0i5.7186

Palavras-chave:

Saúde mental. Busca ativa. Deserção. Pacientes

Resumo

O processo de busca ativa na saúde mental tem  sido  realizado desde agosto de 2012 pela equipe de saúde mental do CSS-CECOM com objetivo de identificar os motivos de abandono de tratamento, propor ações para reinserção destes pacientes no acompanhamento psiquiátrico e/ou psicológico, assim como oferecer aos profissionais de saúde a compreensão das causas de deserção dos seus pacientes, possibilitando pensar futuras ações para a melhoria dos serviços prestados à comunidade. Foram realizados mensalmente durante o ano de 2013 o levantamento dos pacientes que possuíam 3 faltas consecutivas ou 4 meses de ausência em consultas. A partir de tal listagem, os prontuários foram levantados e em reunião com a equipe de saúde mental, definido quais pacientes deveriam ser contactados. Foram realizadas tentativas de contato telefônico com objetivo de compreender os motivos da deserção, e posteriormente registrar em planilha a causa alegada pelo paciente. Durante o período de março a dezembro de 2013 foram listados 460 pacientes, sendo destes 111 (24,1%) selecionados pela equipe de saúde mental para realização da busca ativa. Notou-se dificuldade em contactar os pacientes via telefone (38,8% não atenderam as chamadas ou o contato estava incorreto) e percebeu-se que um elevado percentual de pacientes alegaram motivos pessoais e esquecimento (22,5%) – dados que reforçam a necessidade do processo de comunicação com o paciente para confirmação de consultas. Mostra-se importante o contínuo levantamento dos motivos de abandono ao tratamento para melhoria da qualidade dos atendimentos e melhor aproveitamento das agendas de Saúde Mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-05-17

Como Citar

GUADAGNINI, M. de F.; PAULA LEITE, C. E.; BEREZOVSKY, I.; BOTEQUIO MELLA, L. F.; AREIAS, M. E. Q.; DOMINGOS JÚNIOR, N. M.; ASFORA FALABELLA LEME, P.; ALBERTIN, R. C.; PISAURO LIMA MAGRINI, V. de F. Implantação de busca ativa no serviço de saúde mental. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 5, p. 153–153, 2016. DOI: 10.20396/sinteses.v0i5.7186. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/7186. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Eixo 3 - Desenvolvimento Humano, Saúde, Sustentabilidade e Qualidade de Vida

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>