Banner Portal
O telemonitoramento como ferramenta resolutiva para o acompanhamento de pacientes portadores de COVID-19
PDF

Palavras-chave

Telemonitoramento
Covid-19
Atendimento
Pandemia

Como Citar

PAULA, Samuel Rodrigues de; DONNABELLA, Ana Márcia Moreira. O telemonitoramento como ferramenta resolutiva para o acompanhamento de pacientes portadores de COVID-19: relato de experiência. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 8.Eixo 4, p. e02200784, 2023. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/18065. Acesso em: 19 jun. 2024.

Resumo

Introdução: Durante a pandemia de covid-19, declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em março de 2020, os sistemas de saúde se depararam com um novo cenário de emergência pública e a necessidade de reestruturar alguns de seus serviços para minimizar os agravos e a propagação do vírus SARS-CoV-2. Diante disso, e atendendo às diretrizes da OMS, o Centro de Saúde da Comunidade - CECOM, por intermédio da sua Coordenação, reestruturou o serviço incorporando novas formas de atendimento, com o apoio do Núcleo de Vigilância Epidemiológica (NVE). O objetivo desse trabalho é compartilhar a experiência do CECOM na utilização da ferramenta telemonitoramento no acompanhamento dos pacientes com teste positivo para covid-19. Metodologia: Relato de experiência da atuação de enfermeiros no telemonitoramento por meio de interrogação direta aos usuários, com o objetivo de interagir e obter informações sobre os sinais e sintomas da covid-19, em pacientes diagnosticados com essa doença. As informações foram obtidas através de contato telefônico, mensagens de WhatsApp e e-mails institucionais. Utilizou-se um sistema interno criado pelo serviço para registro das condições de saúde relatadas pelos usuários, com as informações sendo anotadas em rigorosa síntese narrativa, para melhor compreensão do estado de saúde dos pacientes. Com base nessas informações, foram realizadas as orientações sobre os possíveis sinais de alerta, e a necessidade de reavaliação clínica presencial, seguindo-se os protocolos disponibilizados pelo serviço. Resultados: A ação de telemonitoramento havia sido realizada, até o dia 06/09/2022, em 4.874 pacientes portadores de covid-19, e se obteve a percepção de que ela conseguiu alcançar seus objetivos e impactou positivamente nos profissionais e nos usuários que utilizaram esta ferramenta. Tal percepção foi comprovada por meio do feedback positivo de diversos pacientes, enviado através do site do CECOM no canal da ouvidoria. Durante a abordagem foi possível acompanhar o quadro clínico dos pacientes, reforçar as medidas de educação em saúde, identificar o agravamento dos sintomas de forma precoce, orientar de acordo com a evolução e a gravidade do caso, e, em casos necessários, realizar o encaminhamento para atendimento presencial. Buscou-se minimizar o risco de gravidade da infecção, sua disseminação por deslocamento desnecessário do usuário ao CECOM, e ofertar um acompanhamento seguro, efetivo e eficaz a estes pacientes em isolamento. Conclusão: A implementação do telemonitoramento em complemento ao atendimento presencial foi resolutiva no cenário de pandêmico e considerada bem tolerada e satisfatória, tanto para os profissionais que a utilizaram, quanto para os pacientes atendidos por essa ferramenta; além de proporcionar empoderamento aos usuários no enfrentamento da doença, e favorecer a interação entre os envolvidos. Dessa forma, o telemonitoramento contribuiu para a qualificação do serviço e do profissional enfermeiro, legitimando seu papel como educador, tornando-se um grande aliado no controle e prevenção da covid-19.

PDF

Referências

Relato de Experiência Silva CB, Trindade LL, Kolhs M, Barimacker SV, Schacht L, Bordignon M Implementação do telemonitoramento de COVID-19: repercussões na formação acadêmica em enfermagem Ver. Gaúcha Enferm. 2021. Disponível

em: doi: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2021.2020039. Acesso em: 07/08/2022. 2)

Ministério da Saúde (BR). Protocolo de Manejo Clínico da COVID-19 na Atenção Primária à Saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2020. Disponível em:

http://docs.bvsalud.org/biblioref/2020/05/1095920/20200504-protocolomanejover09.pdf. Acesso em: 07/08/2022. 3) Gil, Antônio Carlos, Como elaborar projetas de pesquisa. Antônio Carlos Gil. - 4. ed. - São Paulo: Atlas, 2002

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by/4.0

Downloads

Não há dados estatísticos.