Banner Portal
Desenvolvimento de matrizes para a produção e caracterização de amostras de ligas metálicas no estado semissólido
PDF

Palavras-chave

Materiais semissólidos
Desenvolvimento de matrizes
Ligas metálicas
Caracterização microestrutural
Metalografia

Como Citar

GATAMORTA, F.; TORRES, L. V.; MAGRI, A. Desenvolvimento de matrizes para a produção e caracterização de amostras de ligas metálicas no estado semissólido. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 8.Eixo 2, p. e0220713, 2023. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/17928. Acesso em: 27 fev. 2024.

Resumo

Introdução: A necessidade de redução de custos industriais com melhoria da qualidade dos produtos converge para o surgimento de técnicas para a substituição dos processos de fabricação existentes. O processo de ligas metálicas no estado semissólido é um desses processor que oferece vantagens em relação aos processos convencionais (TORRES, 2019). O processamento do semissólido desenvolve uma microestrutura uniforme, refinada e com boas propriedades mecânicas. e a caracterização microestrutural destes materiais é fundamental, uma vez que sua morfologia influenciará em suas propriedades mecânicas, reológicas, etc. (CHIARMETTA, 2000). Objetivo: O objetivo desse trabalho é o de produzir dispositivos matrizes e procedimentos para produzir e caracterizar amostras através da tecnologia de semissólidos. Metodologia: Para a produção de amostras de materiais no estado semissólidos foi desenvolvido o projeto e a construção de matrizes e dispositivos específicos para esse fim. As características reológicas do material no estado semissólido exigem que as matrizes tenha características adequadas e para a correta extração dos produtos. Existem várias técnicas de caracterização microestrutural para os materiais semissólidos, sendo que as duas técnicas mais utilizadas são a caracterização microestrutural via metalografia convencional (micrografia preta e branca) e metalografia colorida (micrografia colorida) através da medição do tamanho de glóbulo primário e de grão, respectivamente. A técnica utilizada nesse trabalho utilizou da metalografia colorida. Resultados: Após o processamento, as amostras apresentaram geometria e dimensões compatíveis com o projeto concebido. Durante o processamento das amostras elas puderam ser extraídas fácil e rapidamente podendo ter um resfriamento acelerado. Essa velocidade de extração impediu um aumento do tamanho de grão médio que ocorre por elevados tempos de resfriamento. A caracterização microestrutural via metalografia convencional não ofereceu todo o entendimento da microestrutura semissólida. A complementação dessa técnica em conjunto com a caracterização via metalografia colorida permitiu o entendimento completo, com a observação de todas as interconexões e diferenciações microestruturais do material. Deve-se salientar que o tamanho de glóbulo é na realidade o tamanho médio da fase primária observada na microestrutura; é importante notar que devido às interconexões existentes na microestrutura, o tamanho de glóbulo corresponde apenas em parte ao seu real tamanho, que na realidade, seria o tamanho de todo o aglomerado, ou seja, o grão. Conclusão: A partir dos testes das matrizes e dispositivos desenvolvidos é possível afirmar que: o desenho das matrizes permitiu uma correta produção das amostras e a técnica de caracterização mostrou as características particulares do processamento; o desenvolvimento e a confecção no laboratório de usinagem trouxe redução dos custos de fabricação necessários aos experimentos; o desenvolvimento permitiu a publicação de trabalhos acadêmicos. Os valores empregados na aquisição de matrizes e dispositivos foi reduzido.

PDF

Referências

CHIARMETTA, G. Why thixo? In. Proceedings of the 6th International Conference on the Semisolid Processing of Alloys and Composites, Turin, 2000.

TORRES, Luis Vanderlei. Uma revisão sobre a tecnologia de processamento de ligas metálicas no estado semissólido. Impactos das Tecnologias na Engenharia de Materiais e Metalúrgica. 1ed. Ponta Grossa: Atena Editora, 2019.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Fabio Gatamorta, Luis Vanderlei Torres, Aristides Magri

Downloads

Não há dados estatísticos.