Banner Portal
A atuação do psicólogo no ambulatório de endometriose
PDF

Palavras-chave

Endometriose
Psicologia
Psicoterapia

Como Citar

SANTOS, Mariana Goncales Gerzeli; GODOI, Daniela de Oliveira; MORAIS, Tamires da Silva. A atuação do psicólogo no ambulatório de endometriose: relato de experiência no Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti. Sínteses: Revista Eletrônica do SimTec, Campinas, SP, n. 8.Eixo 3, p. e0220088, 2023. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/inpec/index.php/simtec/article/view/17900. Acesso em: 14 jun. 2024.

Resumo

Introdução: A endometriose é uma ginecopatia de natureza progressiva, condição inflamatória crônica caracterizada pela presença de tecido endometrial fora do útero, afetando entre 1,5% a 15% das mulheres que frequentam serviços terciários. Dentre as queixas estão dismenorreia, dor pélvica crônica, esterilidade, dispareunia, dor ao urinar ou evacuar, frequentemente associados a sintomas psicológicos/emocionais. Pesquisas em clínicas especializadas sugerem que mulheres com endometriose apresentam piora da qualidade de vida, da saúde mental/emocional quando comparadas com a população em geral. Objetivo: Para além da condição física, o Ambulatório de Endometriose promove a integração da Psicologia auxiliando nas questões psicológicas/emocionais que surgem no decorrer da doença. Metodologia: Os atendimentos psicológicos às mulheres com diagnóstico de endometriose são realizadas inicialmente no Ambulatório de Endometriose, que acontece às sextas-feiras no período da manhã sob a supervisão dos Docentes responsáveis Dra. Cristina Laguna e Dr. Oswaldo Grassiotto pelo ambulatório, mediante encaminhamento dos médicos residentes. Após o primeiro acolhimento psicológico à paciente é esclarecida a demanda emocional envolvida na endometriose, havendo consentimento e interesse da paciente, é iniciado um acompanhamento terapêutico para lidar e auxiliar no tratamento da doença, sendo este realizado pelas treinandas da Psicologia Daniela Godoi e Tamires Morais, sob supervisão de Psicóloga contratada Mariana Gerzeli. Resultados: A mulher com endometriose convive com incertezas do diagnóstico e uma série de frustrações e conflitos emocionais como raiva, angústia, ansiedade, medo, sentimentos que podem ser comuns em pessoas que descobrem alguma doença crônica e progressiva. Os sentimentos das mulheres com endometriose podem passar despercebidos no tratamento pela mulher, por falta de tempo em se dedicar às próprias emoções. O acompanhamento psicológico é fundamental para reconhecimento dos impactos sofridos pela dor e mudanças na vida da paciente, isto não significa que os sintomas desaparecerão, o objetivo de considerar o aspecto emocional no tratamento da endometriose é de compreender a associação existente entre esse fator com a doença e seus sintomas, para estabelecer um tratamento mais efetivo, garantindo atenção para as queixas físicas e emocionais. A partir desta percepção a paciente pode ser capaz de enfrentar a doença e suas repercussões mais ativamente sentindo-se mais segura para superar as dificuldades do tratamento. Como evidenciado no estudo de Menichini e Rasore (2001), o suporte psicoterapêutico é fundamental para suportar a desmotivação e os efeitos colaterais do tratamento. Conclusão: O acompanhamento psicológico é uma das formas de diminuir a angústia gerada pela doença, compartilhando sofrimento e conhecendo a respeito da doença. Na fala a mulher passa a se familiarizar com a doença e a se apropriar dos processos envolvidos, superando limites da endometriose. A "cura" nem sempre está acessível para enfermidades crônicas/progressivas (endometriose), entretanto, é possível minimizar seus efeitos a partir do atendimento psicológico descobrindo que vivências desencadeiam as crises e trabalhando esses aspectos no sentido de haver um preparo para essas vivências.

PDF

Referências

ABRÄO, Mauricio S. Perfil epidemiológico e clínico da endometriose: Estudo de 180 casos. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 7, 779-84, 1995.

CULLEY, Lorraine; LAW, Caroline; HUDSON, Nicky; DENNY, Elaine; MITCHELL, Helene; BAUMGARTEN, Miriam, et al. The social and psychological impact of endometriosis on women’s lives: a critical narrative review. Hum Reprod Update. 2013;19(6):625-639.

OHNSON, Neil P.; HUMMELSHOJ, Lone. Consensus on current management of endometriosis. Hum Reprod. 2013; 28:1552-1568

MENICHINI, U.; RASORE, E. Aspetti psicosomaticidell’endometriosi. Médicine. Psicossomatique, 46,109-119, 2001.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Mariana Goncales Gerzeli Santos, Daniela de Oliveira Godoi, Tamires da Silva Morais

Downloads

Não há dados estatísticos.